sábado, 30 de março de 2013

Do limão ao bolo de limão


Fazer a vida mais feliz não é algo trivial. Aliás felicidade sempre parece algo mais fácil de alcançar do que de fato é. Não sei se por que as pessoas idealizam suas realizações, ou por que de fato realizar algo bom, que deixe o coração feliz seja difícil mesmo.
Penso que um passo importante é a gente fazer as pazes com o que estamos vivendo. Ficar bem com o que temos, com os fatos e com as pessoas. O que se transforma numa linda lição espiritual de aceitação. 
 
Sempre ouvi as pessoas falarem de fazer do limão uma limonada, mas adorei a idéia da minha irmã Beatriz de fazer do limão, um bolo de limão!
Fica delicioso e é super fácil de fazer. 
Ela sempre oferece aos seus alunos de yoga um prasad, uma oferta de alimento, que depois de uma pratica espiritual, e no caso física também, serve para consolidar os resultados, do esforço, e da meditaçao.
Aproveitamos o feriado em Campos do Jordão para fazermos juntas sua receita.
Vamos lá:
Bolo de limão
Bater no liqüidificador 
1 yogurte 
4 ovos
1 xícara de óleo
1 pacote de gelatina de limão
Sei o que você esta pensando...
"Meu Deus, gelatina de limão! 
Será que vai ficar bom?
Muita química..."
Foi exatamente isso que pensei, e comentei. Meu sobrinho ouvindo nosso papo na cozinha, emendou:
"Sabe tia, minha professora de química diz, que tudo é químico, que tudo tem uma reação química". Disse ele, numa mistura de conselho, palpite e suporte emocional. Com certeza querendo logo experimentar um pedaço do bolo...
Não se impressione, e vença o preconceito. Por que a mistura continua, agora usando um pacote de bolo pronto, de laranja!
Misturar com uma caixa de bolo de laranja
Levar para assar em forno médio por aproximadamente 40 minutos.

Para cobertura, lavar um limão e ralar a casca.
Espremer o suco, misturar em 1 lata de leite condensado com as raspas.

Fazer uns furinhos no bolo para penetrar a cobertura, e passar com uma espátula.
O bolo fica uma delicia. Depois é só correr para o abraço!
Acho que são essas coisas simples que podem adoçar a vida, e fazer o dia-a-dia ser mais feliz.
Claro que não resolvemos sempre nossos problemas da forma que gostaríamos. Nem somos as pessoas maravilhosas e realizadas como idealizamos, mas e dai?
O que significa tudo isso de verdade?
Tenho certeza que todo mundo pode brincar com os filhos, ou amigos, conversar com alguém bacana, fazer um bolo e compartilhar. Não é?
Então por que ficar esperando um momento super especial para ser feliz?
Podemos ir do limão à limonada, e melhor ainda ao bolo de limão. 
Se você der um pulinho no supermercado ainda dá para fazer essa receita agora.

Obrigada Beatriz e dr Walter pela hospitalidade.
Um beijo à todos amigos, e Feliz Páscoa. 





quarta-feira, 27 de março de 2013

Elohim Claire - Todo homem tem uma história


Nome Chave: Todo homem tem uma história
Elohim: Claire
Data: 27/03/2013
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas

Transcrição: Patrícia Viégas
Edição: Diogo Guedes
Áudio:  ALPHA LUX 10 ANO 15 


Todo homem tem uma história. Mas nós entendemos que as histórias são boas, todas as histórias são boas, mesmo as histórias que envolvam; sofrimentos, mágoas ou decepções.

O passado não deve ser esquecido como coisas que não façam mais parte de você. O passado representa as suas raízes; de onde você veio.

Para caminhar para frente, para realizar aquilo que é preciso realizar; vocês devem se transformar, se modificar, mas, nunca esqueçam de onde vieram.

O passado acolhe as suas raízes.
Você não nasceu na família em que nasceu ao acaso.
Você não teve o pai que você teve, por obra do destino.
Você não nasceu numa família rica ou pobre, simplesmente porque isso aconteceu.

Para todas as situações da vida existe uma necessidade, um aprendizado, uma justificativa. Todos os fatos que você viveu foram importantes e ainda são importantes, como lições. Algumas que realmente você deve; aprender, libertar e esquecer, mas apenas depois de ter tirado o ensinamento. O esquecimento é saudável, mas, não o esquecimento da Alma irresponsável. O esquecimento da Alma que compreendeu a lição e não mais dela precisa.

Imaginem uma árvore. Jamais ela teria a sustentação de ser uma árvore e de enviar infinitos galhos para o Céu e proporcionar sombra, flores ou frutos, se ela não tivesse raízes profundas. Se ela não tivesse o compromisso profundo com ela mesma.

Hoje as pessoas, querem fugir do sofrimento, querem fugir da consequência dos seus próprios atos, da consequência das suas escolhas.

O Mundo Espiritual não é fatalista, mas, respeita as ações e as consequências das ações.
E o único meio de transformar, de mudar, de acelerar, de libertar e até permitir esquecer realmente o passado; é através da sua profunda conexão com Deus.

Quando a árvore, ali está; madura, firme, forte, estabelecida, oferecendo os seus frutos... Ela não mais precisa se entreter ou sofrer pelas suas raízes. Observem a Natureza. A Mãe Natureza é sabia e ela é cheia de lições.


Não reneguem de onde vocês vieram, tenham ao contrário, um olhar amoroso de profundo perdão e entendimento de onde vocês vieram. E se vocês vieram daquele pai ou daquela mãe, com aquele tipo de criação é porque havia, entre vocês, uma semelhança, uma troca, uma luz, um aprendizado.


Tenham um profundo amor por vocês e desenvolvam um profundo perdão pelo seu passado. Olhem as coisas que fizeram; as escolas que estudaram, os amigos que tiveram, os amores que passaram por suas vidas. Cada uma dessas lições foram extremamente importantes na construção do seu Ser, nesta vida.

A sabedoria é algo que se desenvolve. A capacidade de autoanálise é algo que se desenvolve.

Através da expansão da compreensão das suas emoções, dos seus sentimentos, vocês devem encontrar a paz. Então, esta autoanálise deve ser feita com consciência, com discriminação ao certo e ao errado. Porque hoje vocês são capazes de olhar para trás e reconhecer o certo e o errado, mas com amor, com um profundo amor e com um profundo sentimento de perdão.

Quem é um homem sem história?
Quem é um homem sem passado?
Que tipo de crescimento, esta pessoa pode alcançar, sem ter a consciência de olhar para si mesma e pelos caminhos que trilhou com amor?

Você só será capaz de ver que você venceu, se reconhecer, que em algum momento houve o desafio e a superação.

Todas as histórias são importantes. Todas as suas histórias são importantes. Mas olhem pra si mesmos com amor. E olhem para aqueles que cruzaram o seu caminho, também com amor. Ali havia uma lição, uma tarefa, um resgate e hoje; uma libertação.

Nós estamos preparando a Chama Branca, a chegada da Chama Branca. Nós estamos preparando a descida da energia da limpeza do karma. E todos vocês estão recebendo a nossa reverberação; de Amor, de Luz e de Cura.
Nós queremos que vocês se tornem os seus próprios mestres. Que vocês encontrem a força interior da libertação do seu karma. As ferramentas estão dentro de vocês.

E histórias vistas com amor, com compreensão, trazem a consciência da superação. E se ainda, por um motivo ou outro, vocês ainda não venceram essa etapa hoje, se vocês ainda não venceram esse momento que lhes perturba; pelo o menos olhem, e vejam o pedaço da trajetória da sua vida, que você já fez. Porque não há um final. Não há um dia, um fim absoluto.

A Alma está em processo de avanço, de ascensão e transformação.

Então, quando vocês vencerem alguns desafios importantes, novos desafios virão. É um profundo crescimento. Um eterno vir a Ser. Então, façam hoje essa autoanálise, agradecendo com amor.

Escrevam, se quiserem, uma carta para o seu mentor. Essa carta pode ser escrita por dias e até por semanas. E a casa aqui, acolherá vocês colocando uma caixa, onde vocês poderão depositar essas cartas que serão queimadas e entregues a uma vibração do plano sutil.

E nessas cartas, contem da sua trajetória, do seu caminho, das coisas que vocês venceram e daquelas que ainda estão para serem conquistadas.

Você é um Ser de Amor e Luz, maior que o seus problemas. E infinitamente poderoso.

A serviço da Chama Branca, Eu Sou Claire e ofereço a vocês a minha energia de Amor e Luz. Trabalho a serviço de nosso bem amado Mestre Seraphis Bey. E estamos preparando profundas transformações pra cada um de vocês.


Recebam nossas bênçãos, o nosso amor. Sigam em paz.

domingo, 24 de março de 2013

Em algum lugar além do Arco-íris



Os últimos tempos tem sido muito tumultuados na minha vida, quando de uma hora para outra minha secretária foi embora, deixando tudo em aberto. Fiquei muito estressada por que gosto de manter as coisas em ordem, e a confusão foi grande...
Estava precisando de um refresco. Mas foi muito inexperado ver essa formação no céu.
Estávamos em Campos do Jordão visitando o condomínio em que vamos construir uma casa, quando de repente ouvimos barulho de trovão. 
Foi impressionante porque o tempo estava claro, cheio de sol.


E de repente estava lá a lua, aparecendo no céu da tarde ao lado de um arco íris..
Um presente do céu!



Sempre brinco com meus amigos e clientes chamando a vida, de vidinha... Porque é nesse pequeno mundo que nos cerca que as coisas acontecem e nos perturbam.
Os mentores são claros em explicar que o karma está na família, no trabalho e pessoas que convivem com a gente, na nossa forma de nos conduzir no dia a dia.


 Mas dizer que o karma esta na família não é algo negativo, porque o karma não é algo ruim, é apenas um conjunto de regras e compromissos que assumimos conosco, e com aquelas almas amigas, irmãs que estão a nossa volta.
Cuidar dos filhos, educá-los, faz parte do caminho espiritual.


A vida não vem pronta.
Filhos não vêm prontos, não vêm criados, nem têm manual de instruções de como criá-los...
Eles dependem de nós para aprender com o mundo à sua volta, e consigo mesmos.
E nós temos que estar ali por perto para ensinar, e também, com muita humildade, aprender com eles. Por que apesar de serem mais novos que a gente. Sempre os filhos têm o que nos ensinar. Ainda mais quando observamos que são almas que apenas encarnaram depois da gente...


Aprendemos com as pessoas, com os fatos, e precisamos de muita humildade e carinho para lidar com esse aprendizado, por que todas as vezes que achamos que sabemos tudo, que as coisas devem ser apenas do nosso jeito, a chance de lidar com frustrações imediatas, em resposta à nossa forma de agir, será imensa.
Se até as coisas mais improváveis como um arco íris, a lua e o sol com chuva se manifestaram juntos num mesmo momento, por que nos tornamos tão fechados, tão resistentes a mudanças, aos imprevistos?


Sempre presto muita atenção às coisas que acontecem à minha volta, por que sinto que em tudo Deus se apresenta, e fala com a gente.
Acho que nesse pequeno movimento cósmico que presenciamos em Campos do Jordão neste final de semana, havia uma mensagem:
" Deixe a vida fluir como deve ser, sem querer controlar tudo. Fazendo a sua parte, oferecendo aos outros e a vida o seu melhor, mas deixando as coisas acontecerem.
Não seja radical..."


Juro que quero aprender.
Que Deus me ajude.
Linda semana para você, com muito amor, paciência e luz.
Receba meu carinho.

MS

quarta-feira, 20 de março de 2013

Mudança de Ciclo




Estamos novamente numa grande mudança de ciclo, que se completa neste Equinócio de Outono. A Terra se ajeita numa nova frequência.
Como explicam os mestres para que haja harmonia, o novo mundo vem se estabelecendo aos poucos, dentro e fora de nós. Pois não cabe destruir bons caminhos que já conquistamos.
Vocês já sentiram a energia que está rolando?

Digo rolando, porque está tudo em movimento. Coisas estão sendo tiradas do lugar, pessoas estão saindo de nossas vidas, antigas organizações sendo transformadas. Tudo porque a antiga ordem não tem mais lugar.
O mundo está diferente, porque nós estamos ficando diferentes também.
Tenho certeza que muita gente está fazendo sua parte nesse processo de transformação. Amando mais, se desprendendo de antigas formas, se desapegando de crenças limitantes, abrindo o coração...

Ontem dia 19 de março foi dia de São José, nosso amado mestre da Chama Violeta, Saint Germain. Patrono de Alpha Lux, e amado mentor.
Porém, apesar do profundo amor e respeito que tenho por ele, e por toda hierarquia iluminada da Fraternidade Branca, tenho que dizer que não é fácil servir aos elevados critérios desses seres de luz. Eles esperam muito de cada um de nós!
Porque sabem que o nosso despertar será o despertar dos que estão à nossa volta. Somos muito importantes no processo de elevação da consciência do nosso planeta.
Quanta responsabilidade... Mas vamos na luz!

Assim é com muita alegria que oferecemos a vocês um lindo presente, um vídeo feito pelo querido Diogo Guedes que ilustra a oração do Pai Nosso, na musica do meu irmão Antonio Flávio e nosso amigo Kezo.
Um trabalho que foi feito com muita devoção. Gravado no nosso salão com o intuito de oferecer a você, o nosso melhor.

Gratidão é a palavra que vibra em meu coração!

Agradeço a todos que passaram por aqui ao longo desses 14 anos de reuniões todas as quartas feiras.
Agradeço todos que ensinaram através do amor e da dor, já que a vida é feita desse equilíbrio de energias. Somos todos um.

Confira o vídeo, e vamos orar por um novo tempo com mais amor e luz.
http://youtu.be/gzChqpkPukY

Hoje quarta-feira dia 20 teremos uma comemoração especial em Alpha Lux no grupo de meditação, ofereceremos uma comida especial a todos os participantes. Por isso temos vagas limitadas. Ligue e confirme sua presença no tel: 3673.4824

Participação avulsa R$ 50,00 Valor mensal R$ 120,00

Um beijo da MS

terça-feira, 19 de março de 2013

Arcanjo Ezequiel - Por trás das palavras


Nome Chave: Por trás das palavras
Mestre: Arcanjo Ezequiel e Mestre Saint Germain
Data: 20/03/2013
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia P. Orlovas

Transcrição: Patrícia Viégas
Edição: Diogo Guedes
Áudio:  ALPHA LUX 09a ANO 15 
ALPHA LUX 09b ANO 15



Você reconhece um bom homem pelos seus atos e não pelas suas palavras.

As palavras podem ser manipuladas, podem ser usadas ao bel prazer, daquele que sabe falar.

Observem as atitudes das pessoas. Observe aquilo que vem por trás das palavras.

Belas palavras não fazem boas pessoas. Bons atos fazem boas pessoas.

A eloquência verbal, já elevou Ditadores ao poder.

Quem vocês querem ser?
Quem vocês querem se transformar?
Quem vocês querem convencer com as palavras?

As pessoas, neste momento, estão reclamando de um grande vazio interior:

As mulheres. Principalmente as mais jovens, procuram suprir esse vazio, essa carência; buscando um amor, um homem, depois um filho, depois o sonho da família.

Muitos homens, tentando preencher esse vazio, buscam a satisfação material, os prazeres básicos; de comer, beber, dormir, sexo. E aqueles um pouco mais elevados na vibração, procuram no trabalho, nos rendimentos... E até numa única mulher, o preenchimento desse vazio. E o vazio persiste e novos desejos são alimentados pelo vazio.

Meus amados, o único preenchimento do vazio é o amor, que nasce em vocês. Por alguém, pelo mundo e por vocês mesmos. Vocês não amam para satisfazer o outro, para preencher o vazio do outro.

O amor vem como uma necessidade de expressar aquilo que vem da sua alma. E quando vem esse amor, você não precisa de outros; nem de filhos, nem de homens, nem de trabalhos, nem de dinheiro. Porque aquele amor dará sustentação pra vocês. Aquele sentimento fará com o que vocês vençam as dificuldades do dia e as carências associadas à noite.

A autotransformação propicia o sentimento do amor. O poder da Chama Violeta está profundamente associado ao Amor. O poder da Chama Violeta está profundamente associado à capacidade de fazer o Bem. De ver o Bem no próximo e de agir com delicadeza, com harmonia e com paz.

Agora é o tempo de vocês serem os mestres das suas próprias vidas. Os senhores de suas escolhas. Os amados do seu caminho.

Durante muito tempo, a humanidade foi ensinada a amar o outro, por muitas religiões. Porém, se o amor não nasce e não vem por você mesmo, vocês estarão incompletos e não conseguirão amar os outros.

Tragam o Amor por si. Se vejam como pessoas boas e façam o Bem. E esse Bem transformará as suas vidas.

A essência da Chama Violeta está no coração de cada um de vocês. E é um tremendo poder curativo que só pode ser ativado por vocês.

Outros podem tocar o seu coração, mas, quem ativa a Chama do Amor é você.

Nesse momento, estamos tocando o coração de vocês. Tocando no Amor e na Luz.

Em sintonia com a Chama Violeta, Eu Sou Ezequiel. Trabalho a serviço da elevação da consciência. E a consciência se eleva através do mais profundo sentimento de Amor.

Tenham Luz e tenham Paz.
______________________________________________________________

Alpha Lux 09b – Ano 15

A Terra passa por um momento de profunda transformação. A humanidade fez um grande crescimento em avanço tecnológico. Agora é a hora da Tecnologia do Amor.

As ligações afetivas entre vocês e os seus companheiros, ainda, exerce o poder destrutivo das amarras do apego.

Cresçam. É esperado que vocês cresçam e aprendam a estar, mas, não depender. A amar, mas, não esperar algo em troca. Cresçam, na sua Luz.

Quando nós falamos a vocês, sobre crescimento, é porque acreditamos e estamos dando o impulso para que vocês assim o façam.

Neste momento estamos ativando, no Plano Sutil, uma energia de quebra dos invólucros de ignorância que cada um de vocês carrega. Porque é minha força. Porque é minha vontade, servir ao Bem.

Visualizem, usem a força do poder mental, imaginando; que o seu invólucro de dor e de sofrimento, neste momento, é rompido, é quebrado, é dissolvido.

Que em volta de você como um ovo, é quebrado, todo o invólucro que impede você de manifestar a sua perfeição Divina.

E quando esse invólucro é quebrado e rompido, vão caindo; as máscaras e amarras que impedem a sua evolução e o seu crescimento.

Se veja como um Ser de profunda Luz, porque é assim que nós os vemos.

Em nome do Amor da Chama Violeta e de toda a Força da caminhada terrestre, de seres de Amor, Eu os envolvo com a minha Luz.

Eu Sou Saint Germain. Tenham paz.

Momento de transição!




Num mundo tão cheio de compromissos, trabalho, stress, parece difícil viver bem, sentir-se feliz, estar em harmonia, porém, isso é tudo o que a gente quer. Queremos ser amados, sentir-nos úteis, realizando um bom trabalho e tendo reconhecimento por isso. No entanto, quase sempre a realidade à nossa volta não nos traz felicidade, quase sempre a sensação é de frustração, mas não podemos nos deixar dominar pelos infortúnios.
Sinto que nesta entrada de outono as energias do astral estão em grande tumulto. Se até um papa renunciou, o que podemos imaginar sobre essas forças?

Algumas pessoas me questionaram sobre a mudança vibracional esperada para 21.12.2012, alguns, inclusive, reclamando que não sentiram nada. Aliás, que bom que não sentiram, porque se energeticamente as coisas estão tumultuadas, imaginem se as mudanças tivessem sido ainda mais densas. O que teria acontecido? Terremotos, maremotos, destruição?

Os mentores ensinam que um mundo leva milhões de anos evoluindo. A humanidade em forma física como somos hoje, atravessou muitos desafios, e já viu nascer e desaparecer importantes civilizações para chegar até aqui. Assim, não seria sábio perder todo esse esforço. As hierarquias de luz se uniram para favorecer uma transformação intensa, mas ao mesmo tempo, de modo menos doloroso possível. Assim o que vemos, o que sentimos, são as ondas vibracionais e formas-pensamento densas sendo transformadas. O que significa que as pessoas estão sendo convidadas a olhar para suas histórias, seus relacionamentos e observar qual atitude é boa e qual é ruim. Estamos crescendo para fazer escolhas.

Tomar consciência não é indolor. Mas fechar os olhos e levar a vida no piloto-automático também não alivia o que sentimos quando estamos nesse movimento de despertar. Assim, dizem os Mestres, é natural o desconforto. Dizem eles que quando uma luz se acende num quarto escuro, tudo aquilo que estava em desordem, de repente, toma forma. A sujeira aparece...

Percebo que muita gente está meio triste, sentindo-se fora de foco, sem saber o que fazer, e isso se deve justamente pelo movimento vibracional. As coisas estão mesmo fora do lugar, mas não devemos ter pressa em arrumar tudo e buscar o conforto na falta de esperança em dias melhores. Então, vamos ficar por aqui mesmo porque não há nada melhor.
A mudança está apenas começando e naturalmente vem trazendo desordem. Assim, precisamos de paciência e esperança.

Esse é o momento de não brigar, de não tentar resolver tudo de forma impulsiva, de evitar levantar mágoas. Quando conseguimos agir com mais paciência e sabedoria, a realidade em torno de nós pode também se acomodar de uma forma mais positiva.
Observe que quando você está triste, o mundo à sua volta torna-se uma grande tristeza. Já quando você está feliz, naturalmente está também com boa disposição, inclusive para lidar com os problemas.

Conheci um médico que dizia que a gente tem que descobrir dentro de nós um estado semelhante ao da paixão. E quem já esteve apaixonado sabe que inebriados pela possibilidade de felicidade, achamos tudo lindo, somos capazes de trabalhar um dia inteiro e ainda sair à noite, lindos, perfumados e gentis...
Mas onde encontrar essa energia? Se todos sabemos que as mais lindas histórias de amor não perpetuam o estado da paixão?

Sinto que não temos que ter medo dos estados negativos, nem tão pouco assumi-los como realidade. O que precisamos fazer é observar que, se estamos em transição, nem a sombra é a verdade, nem a luz também nos assegura a paz.



Se a noite sucede o dia, num eterno ciclo evolutivo, vamos vibrar para ficar bem a despeito das turbulências. E nessas horas, nada melhor do que todos os dias dar um espaço para as orações.

Muita luz para você, com coragem para aguentar ver o que ela lhe mostrará!

MS

segunda-feira, 18 de março de 2013

Quando mais precisamos das pessoas



Você já se fez essa pergunta?
Tenho uma máxima que sigo há alguns anos: Deixar a vida em dia. O que significa falar sempre aquilo que sinto que precisa ser dito, cuidar quando é preciso, oferecer amor na hora que o outro pede, falar a verdade, e também colocar limites. Assim quando alguém vai embora, quando um ciclo se fecha está tudo certo.


Podemos até sofrer pelas pessoas, sentir falta, mas podemos continuar. Podemos viver sem alguém. Podemos seguir em frente quando não estamos felizes, e porque não fazer isso?
Porque criar dependência das pessoas ou das coisas que queremos que de certo, já que isso se transforma em prolongar o sofrimento?


Aprender viver bem o momento presente, seja ele bom ou ruim é muito libertador, porque se temos pendências com as pessoas, com certeza deixamos de ter espaço para o amor, já que as coisas não caminham juntas.
Quando precisamos arrumar os sentimentos, dizer coisas para o outro, ficamos agitados, confusos, sofremos...
E quem sofre, não se sente leve para amar. 
Leva um tempo limpar a energia, mas é necessário.




Sempre nos meus grupos, em trabalhos de cura, de meditaçao e doação de energia uso um mantra que diz assim:
Eu me dôo com amor. Eu recebo com amor.
Tentamos praticar se doar com amor e receber com amor. O que parece fácil mas não é, pois receber as coisas da vida, perder, passar por situações de stress, nem sempre são recebidas com amor, nem sempre compreendemos o que acontece, mais difícil ainda fazer isso com amor. 

Assim acabamos desenvolvendo uma imensa carência. Um imenso desejo de que alguém cuide da gente, e quando isso não da certo, ficamos com raiva e nos deprimimos. 
Mas e nós onde estamos?

Conseguimos nos oferecer suporte, amor, ou no mínimo um diálogo interior com carinho?
Acho que quando mais precisamos dos outros, estamos precisando de nós mesmos. 
No momento em que nos acolhemos, e tentamos estabelecer um diálogo interior amoroso, deixamos de dar tanto valor ao outro, ou as atitudes negativas que as vezes recebemos em retorno das nossas boas ações.
Coisas ruins acontecem com pessoas boas. E por isso e por outras coisas precisamos nos amar, nos suprir. Podemos esperar o amor das pessoas, e não devemos nos proteger da vida atras da auto suficiência. 
Precisamos das pessoas para com elas aprender compartilhar.


São as pessoas que nos ensinam superar as dores e crescer em nosso caminho.
Sofremos por conta do amor, mas também crescemos nas histórias.
Somente através da convivência curamos as dores causadas pelos desencontros nos relacionamentos.
Assim dois passos rumo ao interior são importantes, a gente se bastar, e se amar. E dois passos rumo ao exterior são igualmente importantes amar ao próximo e compreender seus limites.
Podemos não mudar as pessoas, mas mudamos a nos mesmos.

Vamos na luz.
Beijo a todos e boa semana.
MS

sábado, 9 de março de 2013

A santidade do Arroz!



Você já parou para pensar em tantas coisas lindas que recebemos todos os dias, mas que como já estão totalmente incorporadas em nossa vida nem percebemos?
É o caso do arroz.
Um alimento sagrado. Usado também em rituais, como oferendas de prosperidade e pureza.
Aqui no Brasil é jogado nas noivas como oferta de uma vida próspera e iluminada de coisas boas.
Na Ásia é oferecido aos deuses em cerimonias ancestrais, e em rituiais védicos como aconteceu no meu casamento. Onde foi montada uma fogueira, alimentada por manteiga clarificada, muito arroz, frutas legumes, e cantos sagrados.
Foi lindo.


O arroz é cheio de surpresas...

Lembro que há um bom tempo atrás andava nervosa, tensa, sem dormir direito, e um guia espiritual me mandou tomar banho com água de arroz!
Nossa...
Pois é banho com água de arroz. Aquela aguinha esbranquiçada que sai do arroz quando lavamos antes de cozinhar.
O mentor pediu para lavar uma xícara de arroz e separar a água, e quando fosse tomar banho misturar com a água do chuveiro, e depois do banho normal, jogar pelo corpo, podendo inclusive molhar os cabelos.
Descobri que este é um banho calmante.
Um banho que limpa energias negativas, e alivia sentimentos conflituosos.
E falando em conflitos acho que vale observar que se estamos perturbados, isso não acontece apenas porque recebemos energias complicadas, mas também porque de alguma forma, entramos nessa sintonia. E se entramos, temos algo dentro de nós que vibra desse jeito.
O lado bom é que se está em nós, também podemos mudar.
Mudar a vibração depende em primeiro lugar de uma mudança de pensamentos. E para isso nada melhor do que meditar, buscar auto conhecimento, fazer cursos, e praticar aquilo que aprendemos.

Ainda pensando no arroz e na sua beleza abundante, me lembrei dos campos que vi ao redor das estradas na Índia. Era impressionante a extensão de terras cultivadas.
Lembro que uma vez viajando na região de Agra, indo para Jaipur, ficamos encantados em ver lindos saris coloridos enriquecendo a paisagem.
Uma beleza sofrida ao constatar que eram campos cultivados apenas por mulheres!
Imaginem o trabalho duro do plantio do arroz!
E porque seriam somente mulheres trabalhando nesses lindos campos verdes?
Tudo tão lindo, tão perfeito... Pradarias e montanhas cobertas por este rico cereal mostrando a presença divina esperando o tempo certo de saciar a fome de muitos, fazendo desabrochar o arroz em cachos.
Tenho que me render a beleza dos campos, apesar de minha mente ocidental, não entender muito bem o porque do trabalho pesado recair sobre as mulheres. Aliás observei que quem viaja para a Índia, o tempo todo é testado em suas crenças. Surgem mil perguntas, algumas com respostas espirituais, e outras que ficam pairando na mente sem muitas explicações mesmo, cabendo a gente apenas aceitar, e praticar o deixar fluir a espera que um dia possamos compreender.
Aprendi com os mentores que precisamos reconhecer a vida com gratidão, mesmo aquilo que não entendemos.
Eles explicam que o arroz ensina a calma, a aceitação, e pureza de sentimentos. E que nós do ocidente temos muito o que aprender a esse respeito, pois bastou não entender muito bem alguma coisa, que levantamos a bandeira do contra, criticamos, julgamos, brigamos, e nos perdemos...
Acho que precisamos muito mesmo do arroz, e da sua lição de pureza e paciência. Não é?

Como gosto muito de arroz, aproveito a oportunidade para compartilhar com vocês uma receita muito fácil de Torta de Arroz.
Uma delicia.
Fácil de fazer e muito econômica, pois podemos aproveitar as sobras. Veja:

Torta de Arroz

2 xícaras de arroz cozido
½ xícara de óleo
½ xícara de leite
2 ovos inteiros
Bata tudo no liqüidificador, e acrescente por último 1 colher de chá de fermento em pó.


Faça um refogado com:

1 cebola cortada em rodelas
1 pimentão pequeno cortado em rodelas
2 tomates em rodelas
2 colheres de sopa de azeitonas picadas
Sal e pimenta à gosto
1/2 xícara de salsinha picada


Coloque a massa numa assadeira untada e enfarinhada, cubra com o recheio e leve para assar por aproximadamente 45 minutos.


Se desejar pode espalhar queijo ralado por cima fica muito bom.



Delicia!
Pode servir quente ou frio.

Se você quiser pode rechear também de espinafre refogado, fica muito bom. Você pode também repartir a massa e rechear, e depois cobrir.

Use sua criatividade nos recheios. E bom apetite!

domingo, 3 de março de 2013

Mestra Rowena - A frente de um caminho


Nome Chave: A frente de um caminho
Mestre: Rowena
Data: 13/03/2013
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia P. Orlovas

Transcrição: Patrícia Viégas
Edição: Diogo Guedes
Áudio:  ALPHA LUX 08 ANO 15 


A frente de um caminho, todos têm um misto de insegurança e desejo de vencer.
Vocês são movidos pelos dois movimentos; o movimento natural de ir, de vencer e a resistência.
Vocês não poderiam apenas ir. Porque a resistência lhes traz a decisão necessária, o equilíbrio necessário, a ponderação.

Quando o espirito encarna, ele sai do estado volátil (do estado mais sublime), e ele na densidade, portanto, na resistência; encontra a elaboração de atributos dos Universos Superiores.

Nenhuma Alma evolui apenas no mundo do espírito. As Almas encontram a evolução nas lições da matéria, por mais brutas, dolorosas, invasivas, difíceis que possam ser.

Os karmas estão na família. As situações kármicas de cada um de vocês, está no núcleo familiar, naqueles que estão próximos, naqueles que você ama, naqueles que fazem parte do seu afeto, no sangue do seu sangue. Mas não entendam isso como dor. Porque, na verdade, ali estão os seus maiores professores, os seus maiores instrutores, aqueles seres no seu convívio diário que impulsionam você ao progresso e a auto-superação.

O que seria de você, sem os seus karmas? Quem seria você, sem os seus karmas?

No seio familiar, no núcleo onde sobra e falta amor, está a sua grande luz, o seu grande impulso a evolução. Os filhos, muitas vezes, ensinam as maiores lições para as mães.

As mães pensam que ensinam os filhos e fazem, no caminho da Terra, todo o esforço para oferecer a aqueles que vieram um dia, do seu ventre, o seu melhor.

Mas, os filhos, ensinam as mães, ensinam aos pais importantes lições de convívio. Porque vocês, como pais e como mães, começam amando profundamente aquele ser. E quando ele cresce e se encontra com os seus próprios desafios, e se rebela, e se transforma; ataca vocês, e ama vocês.



É ali naquele movimento, aparentemente caótico, que amor pode crescer. Que o seu amor pode expandir. Que o seu amor pode transformar você numa pessoa muito maior do que você era antes.

É no amor entre irmãos, que as pessoas aprendem a não competir, a dividir, a ouvir, a querer o bem do próximo e a enxergar as suas falhas e fraquezas mais profundas. Um irmão pode ser um doce ou um cruel espelho.

E é no karma dos relacionamentos, de parceiro, de homem e mulher, de casamentos; que mais uma vez vocês são convidados a lapidar profundamente o ego.

Primeiro; pelo amor, pelo encontro, pelo olhar, pelo desejo. Que faz com que vocês se adocem. Se tornem pessoas mais amáveis, para cativar o outro.

Mas, neste jogo humano de sedução há uma expansão de alma, há um crescimento, há uma lapidação e há um desejo e uma profunda vontade de crescer e de se transformar. E isso, por si só, é fundamental.

Porém, quando nesses relacionamentos vocês encontram; as mágoas, as dores, o mau gênio, a quebra, as traições, o fechamento... Ali está, mais uma oportunidade do seu cônjuge lhe ensinar a superar e a encontrar o amor. Se não por ele, por você mesma. Com um novo olhar, com uma nova forma de ver você mesma, com uma nova forma de se portar e se lidar com a vida. Nos relacionamentos estão as chaves da ascensão e libertação do amor.

Por isso, com a Chama Rosa, a qual eu pertenço, e amo, e me entrego e dedico a minha caminhada; é tão importante na vida de vocês.

Só o amor cura. Só o amor impulsiona ao crescimento. O amor é a base, (deveria ser), de todas as estruturas.

Quando vocês aqui praticam o “Eu me doo com amor”... Quando vocês se doam; é aberta a porta do coração e vocês são inundados com amor, por isso, a caridade.

Quando vocês se doam aos desvalidos, aqueles que muitas vezes não merecem o amor, mas ainda assim vocês se doam, sem nem se importar com as histórias deles... Tendo desenvolvido em vocês a distante compaixão, impulsionada pela compreensão de alguém que vocês não conhecem, portanto não julgam, ali vocês estão praticando o amor ao próximo. Vocês estão se doando, vocês estão amando.

O Amor da Chama Rosa, que nesse momento envolve cada um de vocês, quer a sua ascensão e a sua cura.

Á vocês... Eu me doo com amor. E eu recebo com amor.

Eu Sou Mestra Rowena e abençôo cada um de vocês, com muito Amor.

Recebam a suavidade das rosas, do meu perfume de amor. Tenham paz.

Não olhar para os problemas



Será que resolve?
Recebi Olga neste início de ano. Mulher bonita, com seus cinquenta e poucos anos, foi logo dizendo que resolveu vir me ver depois que nada aconteceu em 21 de dezembro de 2012. Fiquei olhando para ela sem entender o que exatamente ela esperava que acontecesse naquela data, mas nem tive tempo de pensar, pois ela foi logo falando que precisava resolver sua vida e que não queria sofrer mais. Estava se tratando de um câncer no seio e precisava de ajuda. Expliquei, então, como funcionava a sessão de terapia.

A sessão de Vidas Passadas mostrou uma mulher forte, casada com um fazendeiro que a deixou viúva, moça ainda, tendo que criar os filhos, sem dar espaço para nenhuma outra história. Sua vida era trabalhar, cuidar da casa e mostrar para a família e o mundo que era uma vencedora, que dava conta de tudo. Quando terminamos essa parte da sessão, ela disse que se identificava com o que foi mostrado, que hoje ela tinha marido, mas que continuava cuidando de tudo. O marido viajava muito e ela tomava conta do dia a dia da família, mas não queria se separar, pois achava que os filhos precisavam daquela estrutura. Quando perguntei se ela amava o marido, ela demorou para responder, depois disse secando lágrimas teimosas que escorriam no rosto:
- “Não sei se amo. Não sei se quero olhar para isso”.

Depois, num grande desabafo, ela falou da sua dificuldade em olhar para seus sentimentos. Disse que foi educada para manter as aparências, para mostrar para a família, amigos que estava sempre tudo bem, mesmo quando não estava. Disse também, que sua mãe agia assim, que evitou uma separação quando seu pai arrumou uma amante, e que ela queria que sua família fosse feliz.

Mas e você está feliz? Perguntei não querendo magoá-la, mas ao mesmo tempo tentando mostrar a importância de olhar para suas escolhas, e rever sua conduta. Afinal, é para isso que se propõe uma sessão de terapia. Principalmente quando a pessoa está sofrendo com um câncer e tentando se curar. Quando a doença se manifesta no corpo físico, com certeza, muitas coisas sofridas estão guardadas no corpo emocional e também espiritual.

Nossas experiências ficam armazenadas no inconsciente e uma hora ou outra, quando o bolo estiver muito pesado, simplesmente aquela energia presa se soltará espalhando emoções.
Olga disse que queria ficar mais leve, mas que não sabia se estava pronta para olhar para sua vida. Imaginava que algo novo deveria ter acontecido em 2012 e que sua vida simplesmente ficaria melhor, como num milagre. Perguntei, então, se ela acreditava em milagres, e ela me disse que o fato de estar ali comigo, já era um milagre, já que vinha de uma família que não acreditava em coisas assim.

Apesar da forma muito diferente de olhar a vida, senti uma grande empatia com aquela mulher. Tínhamos praticamente a mesma idade, e eu podia imaginar o que ela estava sentindo pois perdi minha mãe com a mesma doença, e foi inevitável olhar para ela e lembrar de atitudes da minha mãe, que até o ultimo momento de vida evitou falar de si mesma. Como se falar das fraquezas fosse algo ruim, negativo. Como se nós não tivéssemos problemas, atitudes erradas, ou não cometêssemos enganos.
Olhei com compaixão e ofereci o meu melhor silêncio, pois percebi que ela estava tomando coragem de falar de si mesma.
Fico pensando em quantas mulheres se sentem como a Olga, sobrecarregadas, comprometidas em manter um lar feliz, fazendo mil sacrifícios que ninguém enxerga para manter a família. Parece incrível pensar assim nos dias de hoje, mas essa não é uma atitude do passado, algo que minha, ou a sua mãe fez no passado. Muitas moças jovens não falam o que sentem, não se dão o direito de expor suas emoções.

Concordo com aquelas pessoas que acham que não devemos focar nos problemas, que não devemos dar força para coisas negativas e acho que para manter um relacionamento feliz precisamos, sim, fazer concessões, mas ao mesmo tempo tenho certeza que não podemos abrir mão de olhar para nós e buscar compreender até que ponto podemos ceder.
Em tudo há um bom senso, uma hora de agir, uma hora de parar. E somente o bom senso, obtido através do autoconhecimento, oferece essa sabedoria de lidar com a vida.

Vendo as pessoas, aprendendo com as histórias da vida, posso afirmar sem medo de errar que não olhar para os problemas não resolve nada. Em alguns casos, apenas adia uma tomada de atitude, mas em outros, complica ainda mais a vida das pessoas. Precisamos é de coragem para enfrentar algumas coisas que nós mesmos criamos, e muita luz espiritual para continuar vivendo com fé e esperança, mesmo quando nos sentimos infelizes, porque, afinal, como dizem os Mestres, tudo passa, e temos a eternidade para aprender!