domingo, 22 de abril de 2018

Libere seus carmas











 Áudio







Com as palmas das mãos unidas no gesto da oração, você se conecta com Deus.
E você visualiza, imagina uma luz muito linda que vem do alto e ela se coloca em você
pelo alto da sua cabeça.
É uma fonte de luz, é um feixe de luz e ele vai até o centro da Terra, passando pelo seu
corpo.
Vai até o centro da Terra.
E no magma do planeta, no fogo incandescente, ele vai carregando nosso carma, ações
erradas, medos, raivas, atitudes também erradas, mágoas, dores, situações sem solução.
Entregue tudo isso, esse peso, para o centro da Terra.
Sem ódio, sem raiva, apenas entregue, entregue, entregue, entregue.
Respire e solte o ar.

No mês 4, na energia de Seraphis Bey, Chama Branca dos Senhores do Carma, nós
estamos aqui acolhendo seu carma, acolhendo a sua dor, acolhendo a sua inconsciência.
Toda dor, todo sofrimento, toda mágoa, são provocados pela profunda ignorância dos
caminhos de Deus.
Nesse momento, entregue essa dor à energia da Chama Branca.
Entregue essa dor à Providência Cósmica, que limpa, dissolve os miasmas de que você
conseguiu se desprender.
Alguns não compreendem que o carma só é desligado, transformado, libertado, quando
você se desprende dele no seu coração.
Quando você está preso à atitude, ao medo, ao remorso, à raiva, ao desejo de vingança,
ao sentimento de culpa, ali a energia permanece presa num nó.
Nesse momento, peça a libertação dos seus nós, das energias inconscientes, daquilo que
você prende sem saber que você está prendendo.
E jogue, solte, liberte nesse fogo do centro do planeta. Libere a energia.

Pense mentalmente:
“Eu (mentalmente diga o seu nome) entrego os meus medos, minhas raivas, minhas
dores, para que seja tudo transformado na luz deste planeta.
Se aqui eu vivo, aqui eu quero viver com amor.
Se aqui eu tenho uma família, aqui eu quero honrar a minha família, com amor.
Se aqui eu tenho os meus inimigos, neste momento deles eu quero me libertar, com amor.
Se aqui eu tenho as minhas dívidas, nesse momento eu quero soltar e saldá-las, com
amor.
Se aqui neste planeta eu tenho meu corpo, eu quero honrá-lo com amor, com saúde e
com amor.”

Pense, neste momento, nas suas ligações cármicas, pessoas e situações.
Naquilo que você pode resolver com seu mental, naquilo que você não pode resolver.
Libere ambos.
Libere o que você pode resolver e libere o que você não pode resolver.
Libere o que é seu, libere o que une você a outras pessoas.

E aí visualize, imagine uma luz branca, um feixe de luz vindo da terra e subindo pelos
seus pés; passando no seu corpo, atravessando o seu tronco, a sua cabeça, a sua mente,
e se unindo novamente ao céu.
Uma energia que veio limpa do centro da Terra.
Limpe a sua mente.
Esse feixe de luz vem dissolvendo seus pensamentos e une você novamente à energia
do Pai Criador.

Fixe o seu pensamento nessa luz, fixe o seu pensamento nessa conexão.
Sinta, respire, solte.
Visualize exatamente na sua frente, com o rosto tocando seu rosto, a presença do seu
anjo da guarda.
Ele junto de você, protegendo você, trazendo inspiração a você, amor, luz,
contentamento.
E aí o seu anjo, ele entra dentro de você. É um abraço dentro do seu corpo, um abraço
que você acolhe.

Na vibração de Seraphis Bey, na vibração dos Senhores do Carma, estamos trabalhando
a energia da Chama Branca em cada um de vocês.
Aceitem a conexão, permitam a conexão.
Nesse momento, pessoas mais sensíveis sentirão um desejo de realmente relaxar, soltar
o corpo e receber as curas.
Se você puder se encostar, se soltar no chão, faça isso nesse momento.
Acolha as curas, estaremos trabalhando no corpo sutil de vocês.
Acolha as curas.
Simplesmente se deite, se for possível, e receba a energia.
Na vibração de Seraphis Bey, eu sou Maria Silvia Orlovas a serviço da Fraternidade Branca e me doo com amor para vocês. 





__________________________________________________________________________
Data: 18/04/2018
Canal: Maria Silvia P. Orlovas


__________________________________________________________________________



Clique aqui e assista a aula especial gratuita.












sábado, 14 de abril de 2018

Todas as curas precisam de compaixão











 Áudio





Se você está doente e quer se curar, tenha compaixão por si mesmo.
Compreenda, no entanto, que a compaixão é diferente da autopiedade.
Quando você tem dó de si mesmo, dó de tudo o que você está vivendo, junto com esse dó pode nascer em
você o destrutivo sentimento da revolta.
E de nada vai adiantar você ficar com dó de você e revoltado com os problemas, pessoas e situações.
Isso não aliviará a sua carga, isso não tirará a sua dor.
Isso não permitirá que você vire a página.

É muito sutil a percepção da compaixão e da autopiedade.
A autopiedade consome você, diminui você. Porque você se vê um coitado impotente, sofrendo as suas
questões, sejam físicas, emocionais, cármicas ou problemas normais do mundo.
Você não é um coitado. Você, o tempo todo, está sendo convidado a evoluir e fazer escolhas, sacrifícios e
assumir posicionamento.
Assim é a evolução da alma.

Quando você se conecta ao seu Cristo interior, ao seu estado de budhri, de consciência iluminada, você é
convidado a ter compaixão por si mesmo.
O que significa reconhecer seus erros, reconhecer as suas falhas, olhar as lições que não foram feitas, os
carmas que não foram cumpridos e passo por passo transformar e assumir novamente o seu poder.
Aquele que tem grandes erros e que olha os seus grandes erros é o que mais é convidado a ganhar impulso
e seguir em frente.
Os erros da caminhada são todos aceitos e podem ser transformados.
A sua mente deve ser o agente da sua evolução.

Compaixão é uma energia profunda associada à chama violeta, à qual eu sirvo; e compaixão é um ato de
profundo amor.
Quando você olha para você, enxerga os seus erros e faz novas escolhas sem se penitenciar, como se você
dissesse a si mesmo: “Errei, sinto muito, errei. Me perdoe, errei. Obrigado pela chance de me redimir. Te
amo.”
Esse é um exercício de profunda compaixão: olhar para você!
E é esse o nosso convite a vocês, meus amados: olhem para si mesmos, reconheçam os seus erros.
E mesmo que você tenha lidado, ou ainda lide, com uma pessoa muito difícil - seu pai, sua mãe, seu filho
-, ou uma condição muito difícil - afetiva, profissional, material, seja o que for -, olhe para si mesmo
lidando com essa questão com compaixão.
O que significa fazer as pazes e se redimir.
“Sinto muito por isso. Me perdoe. Ofereço meu amor para a cura. Obrigado pela chance de limpar,
transmutar e fazer diferente.”

A dor pode ser um incrível Renascimento.
Solte-se desse estado de dor, solte-se desse estado de drama!
Nesse momento, nós estamos trabalhando em vocês, operando em seus corações poderosas curas. Aqui
nós oferecemos a vocês o medicamento espiritual e esse medicamento nosso atua no corpo emocional,
mental e físico.
No plano sutil estamos atuando em cada um.
Não existe tempo, distância ou espaço onde o nosso amor não possa penetrar.
Fazemos parte do Todo, somos o Todo.
Ativem em vocês a consciência compassiva, esse estado de compaixão.

Eu sou Kuan Yin e do meu templo, revestida pela luz violeta, branca e dourada, atuo em vocês nesse
momento no chakra da coroa, na mente, criando novas conexões, facilitando caminhos de cura.
Se vocês querem receber curas espirituais, abram o seu próprio pensamento.
Permitam que a Mente Divina atue na sua mente.
Sempre diga a Deus: “Pai, atua na minha mente, eu permito as curas espirituais em mim.”
Sinta isso, pense isso: “Eu recebo as curas espirituais em mim.”

Fiquem alertas à condição de vitimismo, porque apenas o que ela faz é prender vocês à dor e aos erros,
enquanto a compaixão tira os limites e liberta.

Nesse momento, estamos colocando no centro dessa sala círculos de luz, expandindo a energia deste
grupo para outras pessoas, outros lugares, curando, libertando e expandindo.
Na luz da compaixão, na vibração de Kuan Yin, a Grande Mãe do Oriente. 




__________________________________________________________________________
Data: 12/04/2018
Canal: Maria Silvia P. Orlovas
Colaboração: Luana, Francisca Motta  Maire Loss 


__________________________________________________________________________


Clique aqui e assista a aula especial gratuita.







sábado, 7 de abril de 2018

Acolha o seu silêncio











 Áudio





Todos nós precisamos de silêncio. O silêncio traz incríveis curas.

Você ficar o tempo todo falando, com as pessoas ou consigo mesmo, quando o silêncio está na palavra, 
mas não está na mente, não é silêncio. Quando a sua mente está o tempo inteiro pensando, sofrendo, julgando, pedindo, reclamando ou apenas observando, você não está em silêncio.

Então, em algumas horas de seu dia, momentos, ou que sejam pequenos segundos, se observe e observe se você está em silêncio. Muitas vezes, é mais fácil você observar que está falando demais mentalmente. Pode ser que você seja uma pessoa sozinha, que viva sozinha, mas isso não impede você de mentalmente falar o tempo inteiro.

No amadurecimento espiritual, no seu crescimento, para que você cresça saudável dentro da sua espiritualidade, você precisa cultivar o silêncio. E esse silêncio também é necessário nos seus relacionamentos, com amigos, irmãos, parceiro, parceira. É importante observar o silêncio. Nem tudo deve ser falado e nem tudo aquilo que você ouve deve ser acolhido em você.

O silêncio traz incríveis curas. Existe o momento de você se expressar, mas para que sua palavra tenha valor, real valor, você deverá ter o seu tempo de silêncio. Assim é com a música. Para que uma nota tenha o seu verdadeiro sentido, muitas vezes, ela é precedida de uma pausa igual ou maior. Não se confundam com as mensagens do mundo, porque a mensagem mais importante é a que está no seu coração. Não ouça os seus gritos. Quando você estiver nervoso, tenso, deixe passar a sua tensão. Nessas horas, às vezes, as pessoas falam, falam, falam, falam, e está tudo certo, se você fizer isso, mas não dê ouvidos a si mesmo, não acolham qualquer pensamento, qualquer ideia, qualquer palavra como importante, porque não é.

Você só saberá se algo que está em você é real, é verdadeiro, é importante, quando você souber guardar o seu próprio silêncio. O silêncio ensina a valorização dos fatos, dos casos e das pessoas. O silêncio permite que você pratique e cultive a auto-observação. Você só sabe quem você realmente é, se você parar de verdade e se escutar e, através desse silêncio e desse tempo de pausa, você estará fortalecido para observar e fazer escolhas. Escolhas sábias não são feitas no tumulto. É preciso cultivar essa paz interior.

Nesse momento, estamos atuando em vocês, em cada um de vocês, atuando na sua mente. Se há alguém que está com dor e está precisando se deitar, aproveite esse momento, deite-se, onde você está, mantendo o seu silêncio.

E nesse momento, nós estamos atuando no mental de cada um, ajudando você a aliviar os seus pensamentos em crise. 
Respire e solte o ar. 
Se você está crítico demais, achando as coisas ruins, reclamando, você está afastado desse ponto em branco que permite a sua cura. Respire e solte e volte para o ponto em branco. Se você está preocupado em ajudar alguém, ou fazer alguma coisa, você está afastado do seu silêncio, você não precisa agir assim. Acalme o coração e acesse esse ponto em branco. Se você está preocupado com as suas coisas, com o amanhã, com o seu trabalho, acalme sua mente e seu coração e focalize esse ponto em branco dissolvendo os medos de seu cérebro e liberando pensamentos antigos e aprisionadores, permitindo, assim, através desse ponto em branco, que novas energias, ideias e atitudes venham para você.

Mentalmente diga: “Eu me abro. Eu permito novas conexões. Eu permito novas ideias. Eu permito curas em mim. Eu permito intuições. Eu permito a paz na minha mente, no meu corpo e na minha vida.” Respire e acolha. Esta é a cura do silêncio. Esta é a cura da Chama Branca. Esta é a cura na sintonia do grande Mestre Seraphis Bey. Esta é a cura da libertação das suas amarras mentais e emocionais, que são alimentadas pelo excesso de pensamentos e palavras.

Mantenham-se em silêncio, apenas recebendo as emanações da nossa energia.

Eu Sou Claire. Trabalho em sintonia ao amado mestre Seraphis Bey, e estamos saudando um novo momento planetário de libertações, energias novas vindo para o planeta, e quanto mais vocês estiverem abertos a essa vibração, maiores serão as curas e as transformações. Cada um no seu processo, cada um no seu dia, cada um do seu momento. O silêncio é algo intransferível. O silêncio e seu, algo que você escolhe cultivar e ser.
Recebam as nossas bênçãos, a nossa luz. Sigam em paz. 



__________________________________________________________________________
Data: 05/04/2018
Canal: Maria Silvia P. Orlovas
Colaboração: Luana e Maire Loss 


__________________________________________________________________________


Clique aqui e assista a aula especial gratuita.