quarta-feira, 9 de maio de 2012

Que o Verde esteja sempre em nossos caminhos


          
Desde que a Fraternidade Branca me foi apresentada pelos mestres que começaram aparecer nas sessões de vidas passadas com meus clientes um mundo de interrogações se abriu para mim.
            Recebi muita luz, mas também vieram a tona muitas perguntas, questionamentos. Queria saber quem eram eles, o porquê das cores, das Chamas, se afinal eles mesmos sempre afirmaram a unidade divina. E foi com o tempo que fui entendendo que as energias dos Raios eram vibrações diferentes, facetas do Divino e que cada uma impulsionava forças dentro de nós.

            Como a mediunidade foi o pano de fundo para todo meu trabalho sempre foi muito importante ter luz para saber o que era certo ou errado, o que era verdade ou o que era  uma impressão. E você que trabalha com isso também, sabe dos grandes dramas de consciência que enfrentamos dia à dia tentando não errar. 
Quantas pessoas conheço que não dão passagem para os guias, e não confiam nas mensagens que recebem. E isso é normal. Pois como saber o que veio de um mentor, e o que veio de sua própria mente, dos seus desejos, do seu julgamento, da sua visão de mundo?

            Acho saudável a gente se questionar e perguntar o que se trata uma impressão, um sentimento. Acho muito importante a gente se dedicar a estudos e tentar se manter humilde mesmo recebendo mensagens de muita luz. Porque se perdermos essa postura verdadeiramente humilde, e nos colocarmos como os grandes professores, essa luz que um dia nos escolheu como canal, simplesmente deixa de nos tocar porque ficamos embaixo de uma camada muito pesada de orgulho e pretensão.
            Porém sei que tudo isso é muito difícil. Sei que tem gente com muito boa vontade e amor ainda se perdendo em falsas canalizações, sei também de gente que nem sabe que está canalizando um ser de luz e apenas faz sua parte ajudando as pessoas misturada a uma multidão de colegas médiuns de um centro espírita. E é por isso que precisamos nos conectar com os mestres, aprender mais, e pedir em nossas orações a cura pela verdade para ter segurança em desempenhar nossa função.

            A cura é uma sintonia, assim como a doença também é uma sintonia, e ainda que a dor venha se manifestar no corpo físico, ela nasceu no corpo sutil, nas memórias de vidas passadas, nas impressões de sofrimento e escuridão que nasceram nesta e em outras vidas.
            Pode perceber que toda pessoa doente além da questão que está no corpo físico também está carregada de impressões negativas no corpo emocional, mental. Pode perceber que todo doente carrega consigo um sofrimento, um desapontamento muito grande, uma confusão que não conseguiu digerir na emoção. E é claro que o karma de ações em vidas passadas tem um papel bem importante em tudo isso também, mas da mesma forma que ativamos certas dores, podemos também ativar curas, podemos mudar atitudes e crenças apesar de sabermos que não é uma tarefa fácil.

            Como os mestres ensinam a morte não é castigo, mas poucos de nós conseguem perceber esse fato despido de dor, culpa e sofrimento. Mas também é fato que a vida precisa desse sentido maior do envelhecimento, dos nascimentos, da morte, das etapas que cada um de nós vence. E é por isso que celebrar os rituais, festas religiosas, comemorar aniversários tem um sentido importante. Precisamos olhar para o caminho que percorremos. Precisamos celebrar cada fato da vida, e aprender dar valor ao que tem valor.
            Essa consciência aberta  a observar nosso caminho favorece o desenvolvimento espiritual.
Desejo que nesse trajeto cada um de nós sempre se comprometa com a pratica da verdade, e com a transformação que a verdade coloca na nossa vida. Porque se descobrimos que algo não é bom, que estamos perdendo tempo com alguma coisa que nos coloca para baixo, faz parte do impulso da Chama Verde a cura pela mudança, a tomada da consciência da importância de cada um cuidar de si mesmo e fazer diferente.  


A vida é nossa, e a responsabilidade de nos sustentar, nutrir, fazer escolhas, caminhar é de cada um. Por isso vejo a Chama Verde, com a cura pela verdade, como uma energia muito libertadora. E é isso que desejo para você. 

Muita luz verde, cheia de cura com impulsos amorosos e firmes para você assumir as rédeas de suas escolhas para um caminho mais feliz.
Boa sorte!

Um comentário :

  1. GUILHERME DREWEK15 de maio de 2012 22:10

    OLÁ MARIA, ADOREI SUAS MENSAGENS E SEU BLOG.

    ResponderExcluir