sexta-feira, 25 de maio de 2012

NY e os símbolos


            Tenho aprendido muitas coisas e acho que a principal é manter a mente aberta, viva, conectada com Deus e livre de preconceitos. Na verdade acho que nem deveria ter tido qualquer tipo de preconceito, por conta do caminho que se apresentou na mediunidade, e no meu trabalho. Porém a vida ensina e fui convidada ver tantas coisas lindas e as vezes difíceis ao mesmo tempo, que fui percebendo que nem tudo é como imaginamos à primeira vista.
            Devo confessar que apesar desta abertura que sempre tive para o sobrenatural não sabia direito lidar com isso. E até uma certa altura da caminhada, queria fazer parte do mundo normal. Lutei para ser aceita “fazendo tudo certinho”,  não queria a visão expandida das coisas, não queria ser diferente, mas não foi assim que aconteceu. Com o tempo descobri que também gostava das coisas diferentes, e fora dos padrões, e isso repercutiu em tudo ao meu redor. Assim na juventude, ao contrario de amigos que estavam descobrindo o mundo estudando fora, indo para Europa e EUA, atendendo o chamado da alma, fui para a Índia em busca de respostas, e  me encantei com o que encontrei e muitas vezes repeti essa viagem.
 Tinha e tenho certeza que vivi muitas vidas no Oriente e sempre senti grande afinidade com aquele ambiente, com as paisagens, a energia do local e principalmente com Sai Baba e seus luminosos ensinamentos que me deram a tão procurada referencia de vida. Aprendi os valores humanos, meditação, orações e mantras que penetraram profundamente o meu ser, e mesmo anos depois não me imaginei indo para os EUA nem muito menos gostando de lá, nem interagindo com aquele país, que segundo meus antigos critérios, era materialista, e superficial.
            Duro admitir minhas teorias falidas, mas acho que tenho que tornar público meu equivoco. Pois sinto que está na hora de quebrar certos padrões que até então dominaram a mentalidade de muitas pessoas que como eu buscaram espiritualidade achando que a magia, o mundo oculto está reservado apenas a templos em lugares sagrados. E apesar de continuar achando que nesses lugares há uma força energética muito grande, que deve ser respeitada, e continuar seguindo as orientações espirituais que aprendi com meu amado mestre,  o destino tem me convidado a abrir a mente e o coração para encontrar essas passagens para o mundo oculto, e as forças divinas em todos os lugares.
            Sinto que não faz mais sentido achar que a espiritualidade está apenas em lugares especiais, ou em religiões consagradas, meu coração pede expansão. Hoje espiritual para mim é muito mais do que as rezas, que continuo fazendo no silencio do meu quarto, no salão de Alpha Lux, com meus grupos.  Hoje espiritual deve ser a conduta diária, que vai além das vivencias fechadas em grupos restritos. A espiritualidade é e deve ser a pratica da boa educação, da ética, da verdade, e do amor.
            Penso que estamos vivendo um tempo difícil com tantas transformações, mas ao mesmo tempo, acho que o momento é muito afortunado e cheio de possibilidades, principalmente quando mergulhamos profundamente em nós e descobrimos que a sabedoria está em nossos corações mais compassivos e amorosos, na caridade, na oferta em olhar o outro com mais amor e paciência. A espiritualidade também está na força do nosso compromisso de auto aprimoramento e expansão da consciência.
Nesta minha ultima viagem a NY senti exatamente isso. Logo no primeiro passeio que fizemos me encantei com a arquitetura, com os lugares pitorescos, com as flores prontas para receber a primavera. Mas foram os símbolos incrustados em portais, janelas, enfeitando tetos que me chamaram a atenção e o olhar para uma força muito grande que foi depositada naquela cidade, que se auto denominou big Apple. Aliás como nada é ao acaso, observo que pensar na tentação bíblica faz muito sentido quando vamos descortinando NY caminhando a pé. Pois somos tentados a descobrir mais, olhar mais. E não dá para não admirar a força da cultura da capital do consumo.
    Talvez a idéia de pensar que apenas na Índia teria uma experiência verdadeiramente espiritual, e que o resto do mundo era apenas o resto do mundo fizesse sentido no começo da minha trajetória quando estava fincando minhas raízes, porém agora o movimento que me carrega é expansivo. Quero fazer as pazes com o mundo, e me abrir para encontrar Deus e seus encantamentos em qualquer lugar, porque hoje sei que Ele se expressa em milhões de nomes e formas, dentro e fora de mim, e que é maçã e também aquele que come do seu fruto.           
             Fim do preconceito!


Aproveito para comunicar que a partir do mês de Junho na primeira sexta feira teremos o grupo dos Sintonizadores começando as 17hs e seguindo com entrada até as 20hs. Nas outras semanas o horário será das 17 às 19hs. Fechando nos feriados e pontes.

Este mês fomos convidados a doar os alimentos, agasalhos e cobertores que arrecadamos para o projeto da igreja Batista do bairro das Perdizes "Cristolandia"que retira jovens da cracolandia e leva para um abrigo que está sendo construído em Taubaté. 

Desejamos a todos muita luz e boa sorte!
            

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Canalização - A restrição também é Deus


Venha participar ao vivo da meditação dinâmica e canalização dos Mestres Ascensos da Fraternidade Branca, todas as quartas-feiras às 20h30. Esse grupo permite a participação avulsa ou como mensalista. Sinta a energia, venha a esse encontro respondendo ao chamado do seu coração. 
_______________________________________________________________________

Nome Chave: A restrição também é Deus
Mestra: Mãe Maria
Data: 13/06/2012
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 21 ANO 14  (mp3) - Clique aqui



A restrição também é Deus

Meus amados, a restrição também é Deus.

O que seria dos rios sem as margens para restringir o caminho das águas?
O que seria do horizonte, se não existisse a luz do dia e a luz da noite, para mostrar o limite do tempo e a beleza de cada um daqueles movimentos celestes?
O que seria da criança para ser gerada, se não houvesse o útero de sua mãe?
O que seria do seu aprendizado, se na sua vida não acontecessem os momentos de alegria e os momentos de tristeza?


O que seria de você, do seu ego, se nunca você ouvisse “não”?
O que seria da sua existência, se em todos os momentos, os seus desejos se concretizassem?
O que seria de você se tudo o que você planejou até hoje, tivesse dado certo, “apenas certo”? Quem seria você?
Será que você seria feliz? De verdade feliz?


Se desde criança, se desde muito pequeno, nada, nada, nada restringisse a sua ação, o seu pensamento?
Se nunca você tivesse sido corrigido pelo seu pai, pela sua mãe, pelo professor na escola, pelo namorado que lhe deu um fora, pelo abandono de alguém?
Quem seria você?


Meus filhos, meus amados. Deus, no seu drama cósmico e na sua atuação individual e absoluta, na sua onipresente sabedoria. Ele permite sim, que vocês se decepcionem, que vocês se magoem, que vocês sofram, que vocês morram.
Porque nada disso é eterno e nada disso é real.


As experiências da vida, da morte, da doença, da cura, dos encontros e desencontros, são como as margens de um rio, que conduzem desde a nascente dessas águas até o oceano, o caminho de transformação, aprendizado e beleza da alma.
Vocês não querem ouvir o “não”, vocês não querem ser cortados, demitidos, abandonados. Vocês não querem o conflito, de forma alguma.


Vocês não querem as decepções e se magoam quando acontece um fechamento de ciclo, se perturbam, se entristecem, brigam conosco, brigam consigo mesmos , brigam com Deus. Amuam, criam decepções, criam depressões, mágoas, porque não aceitam os desvios da rota, porque não aceitam a sua própria transformação.


Meus amados, a fluidez de Deus, pode ser também a fluidez de suas vidas.
Se vocês criarem um diálogo com a fluidez, com o desapego, as suas transformações acontecerão naturalmente, de forma muito menos dolorosa e vocês serão infinitamente mais felizes. Felizes com o dia de hoje, com o Sol, com o seu trabalho, com aquilo que você está fazendo, com as pessoas que você tem à sua volta.


Há uma sabedoria imensa na aceitação. Em aceitar quem vocês são, em aceitar os caminhos que vocês têm, em aceitar os movimentos que vem do coração.
Deus está, sim, nas limitações.
Deus atua, transformando o seu “ego inflado”, através das frustações.
Deus atua, através daquilo que dá errado, porque vocês precisam desses limites, desses desafios para mostrar quem vocês de fato são.


Amados, amados filhos, o caminho da transformação é importante para o crescimento da Alma.


O que seria de vocês, sem uma folha sem limites?
Sem as pautas para aprender a escrever e desenhar as suas letras?
Sem as margens de um papel, que limite a beleza do seu desenho e a transforme numa obra de arte?


Nunca se limitem. Nunca se perturbem ou deixem de se sentir amados, quando a vida lhes oferecer um obstáculo. As pedras podem servir para construir catedrais.


Abram o coração, compreendam que o amor de Deus está em vocês, e que as limitações são muito mais doenças de um pensamento restritivo, do que uma verdade. A verdade de Deus é amor.


O universo, o plano em que vocês vivem, ainda que dual. Com claro, escuro, com noite e dia, com homem e mulher, com certo e errado, com idade avançada e bebês, é perfeito e é cheio de amor e de possibilidades.



Vejam em cada passo do seu caminho a oportunidade de viver e de se transformar, e apenas isso. E se unem em grupos de amor. Quando vocês estão envolvidos nesta atmosfera, como este grupo aqui, agora, esse amor se torna muito intenso e profundamente verdadeiro.


Vocês são a Luz, a luz está em cada um de vocês.
Recebam  o meu amor e as minhas bênçãos.
Eu sou Maria.
Sirvo ao ofício do Cristo, e estou, moro, vivo no coração de cada um de vocês.
Meus amados, filhos da minha Luz, parte do meu Ser, tenham paz.


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Canalização - Por que sofrem por amor?

Venha participar ao vivo da meditação dinâmica e canalização dos Mestres Ascensos da Fraternidade Branca, todas as quartas-feiras às 20h30. Esse grupo permite a participação avulsa ou como mensalista. Sinta a energia, venha a esse encontro respondendo ao chamado do seu coração. 
_______________________________________________________________________


Nome Chave: Por que sofrem por amor?
Mestre: Sananda
Data: 06/06/2012
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 20 ANO 14  (mp3) - Clique aqui








Por que sofrem por amor?

Amados filhos, por que sofrem por amor? O amor deveria ser a força, para colocar vocês em boas histórias, em bons caminhos, em bons relacionamentos. Quando lhes falta o amor, todo o resto acaba lhe faltando também, então é preciso incentivar, incrementar e favorecer o amor. O amor deve ensinar em primeiro lugar você, ouvir as pessoas.

Não existe amor, quando você grita, quando você discute, quando você se envolve em grande barulho, quando você quer explicar demais, quando você quer ouvir grandes explicações. Os relacionamentos com muitas explicações, com muitas falas, com muitos gritos, com muitas palavras, normalmente são relacionamentos que carecem de amor.

O amor não precisa de tantas falas, porque há um entendimento, há energia do amor fluindo. O amor também ensina o olhar, quando você se deixa conduzir e observa a vida.

Meus amados, a vida será tão mais fácil se vocês olharem as pessoas. Não apenas a aparência física, porque esta é cheia de enganos, mas olhar aquilo que o outro é, como ele caminha, como ele se movimenta, como ele se agita, como ele se aquieta, como ele se comporta, como ele fala com as pessoas, ou como deixa de falar.

O seu olhar deve ser cheio de amor, mas deve ser cheio também de consciência. Porque, no momento em que você olhar e observar as pessoas, as suas atitudes, com o julgamento que lhes cabe, com o entendimento que lhes cabe e com o amor que lhes cabe, você se enganará menos e sofrerá muito menos. Porque você terá o poder de entender as pessoas como elas são, de aceitá-las como elas são.

Do plano espiritual, muitas vezes, nós estamos com vocês como mentores, orientadores e tentamos abrir os seus olhos. Tentamos mostrar pra vocês quem são as pessoas com as quais vocês se relacionam, para vocês aprenderem a não mergulhar tão fundo. Ou às vezes a dar mais uma chance.

Mas nos olhos que não existem amor, também não existe sabedoria. Então o amor lhes deve ensinar a olhar, a enxergar. O amor deve-lhes ensinar também a tocar e a se permitir tocar. O amor deve estar por trás de todo e qualquer sentido, ação, pensamento e atitude.

Há uma carência porque o corpo físico é carente, necessitado de toque, necessitado de troca, de calor, de afeto, de comida. Vocês são espírito, mas enquanto ocupam um corpo humano, necessitam do toque, do amor, do sexo, da troca de energias.

Porém quando, o amor está por trás das suas necessidades, das suas carências, muitas delas imediatamente são curadas. Por isso que em todos os tempos, muitas ordens religiosas tentaram colocar o celibato como uma necessidade, como uma referência, não como uma castração. Mas como muitas vezes os homens não falam a língua do amor, ficou a regra e se perdeu o entendimento.

Na verdade, espiritualmente o homem deve ter recato e inspiração no que diz respeito a como se relacionar, tocar, sentir, perceber uma outra pessoa.

O abraço, o beijo, o toque, o sexo, a comida, os prazeres corporais, eles podem fazer parte da vida de um ser humano elevado, podem fazer parte da vida de alguém que busca a elevação. Mas sempre como o amor por pano de fundo, aquele amor que deve-lhes trazer a consciência, para que vocês não se percam e não se animalizem. Porque as tendências físicas podem levar a uma grande perda de energia e a verdadeiros aprisionamentos e vícios, que os afastam da sua consciência e do verdadeiro amor e da presença de Deus em vocês.

E foi por isso que em tempos antigos, o celibato foi colocado como uma referência de caminho e de libertação. Porque se acreditava que aquelas almas que estavam buscando educação espiritual e progresso, não deveriam perder a sua energia trocando afetos, afagos com outras pessoas.

Mas isso não é a regra de todos, não há nada mais bonito do que um amor de uma mãe para um filho, não há nada mais doce do que a referência de um abraço de um filho pra uma mãe, de um irmão acolhendo o outro irmão, de um amigo abraçando profundamente o outro porque está com saudades, depois de um tempo de distanciamento. A demonstração do afeto, da amizade, o beijo de um casal apaixonado, o sexo dentro de uma relação recheada de afeto e compreensão, é algo elevado espiritualmente.

Então não se confundam, porque o fiel desta balança, da evolução espiritual é a moderação dos sentidos, sim. Uma moderação que é feita através do amor. E o amor não é experienciado em trocas de muitos parceiros. O amor é experienciado dentro do coração da pessoa, não do seu parceiro. O amor é experienciado no seu coração, na sua alma, no seu interior.

Bons olhos para ver, bons ouvidos para ouvir, bons toques para se fazer, boas palavras para se proferir. Quando de dentro de vocês um profundo amor brotar, meus filhos, meus amados, vocês estarão em ascensão.

A ascensão é a libertação dos instintos inferiores e a conexão verdadeira do homem com Deus, aquele que habita o seu coração.

Eu sou Sananda e lhes envio o impulso maior para o Amor Maior.

Está aqui nesta sala hoje, quem nós chamamos para estar, nunca duvidem disso. E saibam que a vibração da minha presença se faz aqui muito fortemente. E que vocês, que trocam energia neste ambiente, aqui hoje, sairão impulsionados para a sua ascensão através do amor.

Façam sagrado o lugar que vocês estão, honrando o amor.
Façam saudáveis os corpos que vocês habitam, honrando o amor.
Façam importante esta encarnação que vocês vivem hoje, vivendo com consciência de quem vocês são, conectados ao Cristo interno e ao amor. Saudações a todos, vivam o verdadeiro amor, vocês conectados ao seu coração.
Tenham luz;
Tenham paz;
Tenham amor.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Que o Verde esteja sempre em nossos caminhos


          
Desde que a Fraternidade Branca me foi apresentada pelos mestres que começaram aparecer nas sessões de vidas passadas com meus clientes um mundo de interrogações se abriu para mim.
            Recebi muita luz, mas também vieram a tona muitas perguntas, questionamentos. Queria saber quem eram eles, o porquê das cores, das Chamas, se afinal eles mesmos sempre afirmaram a unidade divina. E foi com o tempo que fui entendendo que as energias dos Raios eram vibrações diferentes, facetas do Divino e que cada uma impulsionava forças dentro de nós.

            Como a mediunidade foi o pano de fundo para todo meu trabalho sempre foi muito importante ter luz para saber o que era certo ou errado, o que era verdade ou o que era  uma impressão. E você que trabalha com isso também, sabe dos grandes dramas de consciência que enfrentamos dia à dia tentando não errar. 
Quantas pessoas conheço que não dão passagem para os guias, e não confiam nas mensagens que recebem. E isso é normal. Pois como saber o que veio de um mentor, e o que veio de sua própria mente, dos seus desejos, do seu julgamento, da sua visão de mundo?

            Acho saudável a gente se questionar e perguntar o que se trata uma impressão, um sentimento. Acho muito importante a gente se dedicar a estudos e tentar se manter humilde mesmo recebendo mensagens de muita luz. Porque se perdermos essa postura verdadeiramente humilde, e nos colocarmos como os grandes professores, essa luz que um dia nos escolheu como canal, simplesmente deixa de nos tocar porque ficamos embaixo de uma camada muito pesada de orgulho e pretensão.
            Porém sei que tudo isso é muito difícil. Sei que tem gente com muito boa vontade e amor ainda se perdendo em falsas canalizações, sei também de gente que nem sabe que está canalizando um ser de luz e apenas faz sua parte ajudando as pessoas misturada a uma multidão de colegas médiuns de um centro espírita. E é por isso que precisamos nos conectar com os mestres, aprender mais, e pedir em nossas orações a cura pela verdade para ter segurança em desempenhar nossa função.

            A cura é uma sintonia, assim como a doença também é uma sintonia, e ainda que a dor venha se manifestar no corpo físico, ela nasceu no corpo sutil, nas memórias de vidas passadas, nas impressões de sofrimento e escuridão que nasceram nesta e em outras vidas.
            Pode perceber que toda pessoa doente além da questão que está no corpo físico também está carregada de impressões negativas no corpo emocional, mental. Pode perceber que todo doente carrega consigo um sofrimento, um desapontamento muito grande, uma confusão que não conseguiu digerir na emoção. E é claro que o karma de ações em vidas passadas tem um papel bem importante em tudo isso também, mas da mesma forma que ativamos certas dores, podemos também ativar curas, podemos mudar atitudes e crenças apesar de sabermos que não é uma tarefa fácil.

            Como os mestres ensinam a morte não é castigo, mas poucos de nós conseguem perceber esse fato despido de dor, culpa e sofrimento. Mas também é fato que a vida precisa desse sentido maior do envelhecimento, dos nascimentos, da morte, das etapas que cada um de nós vence. E é por isso que celebrar os rituais, festas religiosas, comemorar aniversários tem um sentido importante. Precisamos olhar para o caminho que percorremos. Precisamos celebrar cada fato da vida, e aprender dar valor ao que tem valor.
            Essa consciência aberta  a observar nosso caminho favorece o desenvolvimento espiritual.
Desejo que nesse trajeto cada um de nós sempre se comprometa com a pratica da verdade, e com a transformação que a verdade coloca na nossa vida. Porque se descobrimos que algo não é bom, que estamos perdendo tempo com alguma coisa que nos coloca para baixo, faz parte do impulso da Chama Verde a cura pela mudança, a tomada da consciência da importância de cada um cuidar de si mesmo e fazer diferente.  


A vida é nossa, e a responsabilidade de nos sustentar, nutrir, fazer escolhas, caminhar é de cada um. Por isso vejo a Chama Verde, com a cura pela verdade, como uma energia muito libertadora. E é isso que desejo para você. 

Muita luz verde, cheia de cura com impulsos amorosos e firmes para você assumir as rédeas de suas escolhas para um caminho mais feliz.
Boa sorte!

terça-feira, 8 de maio de 2012

Canalização - Quem doma os ventos?


Nome Chave: Quem doma os ventos?
Mestre: Servidor da Chama Azul
Data: 30/05/2012
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 19 ANO 14  (mp3) - Clique aqui 




Quem doma os ventos?

Nos mares bravios, muitas vezes nós perguntamos: - Quem doma os ventos? Quem manda as tempestades? Quem manda os momentos de calmaria? Eu era um homem muito forte, me acreditava muito forte e em muitas vidas fui guerreiro. Muitas vidas eu me fortaleci segurando a espada, defendendo os fracos e oprimidos, aqueles que eu considerava meus irmãos. Eu era um homem que acreditava muito na força, uma força que eu associava ao meu poder pessoal. E eu acreditava que sempre eu podia fazer mais, ir mais para frente, vencer mais uma etapa, trabalhar e conquistar, eu era um conquistador.

E aí dentro da benção, da grande benção do meu Pai eu encarnei como um rapaz simples que morava num porto. E nem meu pai eu conheci, e o único trabalho de quem nascia naquela época num porto era virar marinheiro. E foi esse o caminho que eu segui, e comecei e durante muito tempo  o serviço mais nobre que eu tinha dentro desse navio era esfregar o chão. Era lavar as roupas, era cuidar daquelas coisas mais básicas e eu sentia muita raiva de fazer essas coisas, porque era muito pouco para mim. Vocês imaginam que dentro de mim morava um guerreiro de tantas vidas, morava um homem livre que quando se cansava pegava o seu cavalo e ia embora, morava um guerreiro sem fronteiras porque para um guerreiro as fronteiras não existem.

E de repente eu estava dentro de um barco me sentindo humilhado naquele emprego, porém aquele era o meu emprego, aquela era a minha vida, e eu não preciso dizer as vocês que eu deprimi, muitas vezes eu deprimi. E parece que quanto mais deprimido eu ficava mais trabalho duro eu tinha, então muitas vezes eu pensava assim: - No próximo porto eu vou saltar, eu vou embora. Essa vida não é pra mim, no próximo porto eu vou embora. E aí chegava o próximo porto e as vezes era um lugar que eu não conhecia, que eu não falava a língua, ou eu achava pobre, ou eu achava sujo, ou aquele lugar estava numa miséria, ou ali estava tendo alguma epidemia ou alguma doença, ou eu brigava com alguém porque eu era muito afoito. E aí eu ficava preso no navio e eu tinha que continuar na minha função, eu não podia ir embora, eu não podia escapar. Eu estava ali, preso no navio.

E eu sei que muitos de vocês se sentem presos no navio, se sentem presos na sua vida, não sabem o que fazer, não querem fazer o que fazem, porém fazem. E não tem como mudar aquilo que vivem, apesar da sua vontade, do seu desejo, do seu sentimento. Eu sei que muitos de vocês se parecem comigo, e eu vivi durante nessa condição durante muito tempo. E ai eu comecei a subir, a minha graduação no navio melhorou um pouco. E eu me tornei um marinheiro um pouco mais qualificado, então minha função irá içar velas, era caminhar de um lado pra o outro, era ficar observando as rotas, os ventos. E foi ai que eu tive um grande aprendizado, porque eu vi que aqueles homens que eu achava que eram poderosos e guias daquele navio estavam a mercê do vento.

Estavam a mercê das intempéries, eles não mandavam nas coisas da forma que eu achava que eles mandavam. Porque eu era tão ignorante daquilo que realmente acontecia, que eu nunca parei para observar que havia uma grande interação do navio com tudo aquilo que estava acontecendo fora, com o sol, com a noite, com a brisa da manhã, com as luas que mudavam, ora crescente, ora sem lua. Eu não tinha observado que havia toda uma sincronicidade com tudo de fora. Eu olhava apenas o meu desejo, os meus impulsos, as minhas raivas, aquilo que eu não queria fazer, aquilo que as pessoas faziam comigo. E eu vivia brigando tanto com os meus impulsos, com os meus sonhos, com os meus desgostos que eu não olhava fora, eu não olhava o sistema, eu não olhava o todo, eu não conseguia enxergar o todo.

O todo para mim era aquilo que acontecia em mim, o todo era o meu sentimento. O todo não era o todo, era aquilo que eu percebia do todo. E eu sofria muito com tudo isso, porque eu era afoito, eu queria mais, eu queria vencer, eu queria dar um passo pra frente, eu queria dominar a minha vida. Eu estava muito longe da minha força, a força de um homem, a força que ensina a chama azul, uma força que não é aparente. É a resignação, é a reverência a uma vontade maior, uma reverência que nos trás aceitação, compreensão, jogo de cintura. E aí sim o despertar da verdadeira força da fé, antes da fé você precisa se entregar a vontade divina. E ai sim fazer nascer de você a fé para você continuar com as coisas do seu caminho.

Eu aprendi com o mestre da chama azul, a desenvolver essa grande entrega. E depois dessa vida como marinheiro eu tive que ter muitas outras vidas pra sentir o vento. Para aprender a ser menos impulsivo, brigar menos, julgar menos as pessoas, e hoje no plano espiritual me deram a honra de aqui estar com vocês. Porque eu me julgo irmão e igual a vocês, e quero apenas trazer o meu relato de amor em sintonia com a chama azul e o bem amado Mestre El Morya. Para dizer a vocês continuarem acreditando e se vencendo, e caminhando, e abrindo, e olhando. Não se foquem nas suas vidas tão pequenas, ainda que para vocês a sua vida seja a maior experiência do momento. De fato ela é, mas busque a conexão com o universo em sincronicidade.

O universo em sincronicidade traz pra perto de você os ventos que você precisa receber, as experiências que você precisa ter, as pessoas com as quais você precisa conviver. O universo em sincronicidade é o grande amor de Deus Pai, que traz a você exatamente a experiência necessária para sua evolução e crescimento. Eu não me libertei do meu impulso odiando, hoje eu uso o meu impulso para amar e servir cada vez mais aquele que é o meu Deus. Obrigado Mestre El Morya pela chance de estar aqui com meus irmãos, muitos de vocês viveram como eu. Foram navegantes, guerreiros, amantes da liberdade.
Muitos de vocês tiveram como eu que vencer a si mesmos para buscar o grande encontro com Deus, assim quando os ventos na vida de vocês não forem ventos favoráveis aprendam a aceitar e usar aquilo que lhes é bom para se tornar um ser humano melhor. O Universo está a seu favor, recebam o meu carinho e a minha luz. Eu estou com vocês, em sintonia nesse grande aprendizado no caminho da chama azul.
Tenham paz e obrigado.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Portais do Céu



Estava aqui pensando na importância dos rituais, das celebrações como o Wesak que para a Fraternidade tem grande relevância. Refletia sobre o assunto porque não gosto de dogmas, pois para aceitar algo preciso sentir que existe um sentido maior, uma explicação, e não apenas um ritual formal, foi quando elevei meus pensamentos e pedi ajuda.
Recebi então a seguinte canalização que compartilho com vocês.

Os signos, e as constelações são portais do céu. Apontam um caminho, uma direção, e quando formam um alinhamento indicam que  ali existe uma passagem.
Vocês já sabem que a data do nascimento, e o signo a qual vocês pertencem trás importantes códigos e informações sobre como se conduzir na vida, e quais eventos serão mais ou menos significativos. Porém alem dos estudos pessoais que podem guiar as pessoas ao atravessar o fluxo da vida existem também os grandes eventos e alinhamentos planetários que permitem que a consciência viaje e se conecte com outros planos de consciência.
Existe um universo material e um universo espiritual, que tem milhões de desdobramentos. Quando as almas encarnadas penetram num outro nível de consciência nem sempre conseguem trazer dessa experiência a sabedoria do evento, mas apenas impressões.
A data 2012 tantas vezes assinalada em oráculos antigos, profecias e canalizações apresentará ao longo do ano várias posições interessantes no céu. Alinhamentos importantes que poderão oferecer grande impulso às pessoas sintonizadas nesta energia.
No mês de maio o Wesak assinalado pelo plenilúnio no signo de touro tradicionalmente oferece um impulso amoroso para a convivência harmônica do ser humano na Terra, por isso sempre foi tão importante para a humanidade encarnada. Os mestres da Fraternidade Branca aproveitando esse portal em ocasiões propicias e se manifestam para sensitivos em sua força maior. O interesse é dizer aos seus discípulos encarnados para se manterem na prática do amor. Amor é o caminho da ascensão.
Muitos de vocês querem receber o amor, serem amados e compreendidos, mas infelizmente poucos praticam as energias associadas ao amor, que são compreensão, se colocar no lugar do outro, paciência, respeito a visão do mundo do seu parceiro, amizade, coleguismo, humildade. Tudo isso também é amor.
No plano sutil no planeta Venus existe uma estação energética, uma base onde as almas mais iluminadas, e amorosas se dirigem quando lhes é permitido sair do orbe da Terra.

Vocês bem sabem que quando desencarnam naturalmente são levados para o plano sutil da Terra, um lugar compatível com sua instrução e energia. Um lugar onde seu karma permite habitar, onde as lições continuam durante o tempo necessário para o seu aprimoramento e próximo reencarne. Almas negativadas, cheias de vícios, e sem compromisso com a evolução pessoal a partir de 2012 serão encaminhadas para outros planetas mais densos e com uma vida muito mais complicada do que a vida que se proliferará na Terra daqui para frente. De fato 2012 é um marco da ascensão planetária e para isso muitas almas iluminadas já estão encarnando principalmente desde meados do século 19, que foi o momento que historicamente teve inicio a finalização de vários tipos de guerras e escravidão, onde a fome deixou de inibir a manifestação da inteligência e cultura de diferentes nações. Claro que o trabalho é árduo e ainda levará um tempo para ser concluído, mas estamos confiantes na vitória do plano da luz.
Almas em grande desarmonia em sem esperança de aprimoramento amoroso a partir deste milênio terão que viver suas limitações em outros planetas que se adaptem às suas vibrações e para tanto existem várias hierarquias tomando conta deste movimento. Já as almas que na Terra encontraram harmonia, amor, realização no serviço ao próximo, lhes será oferecida a possibilidade de voltar a se integrar as suas hierarquias de origem e trilhar o caminho de volta para os seus lares. Porém muitos de vocês que já estão nessa fase de aprimoramento amoroso e afetivo criaram laços de luz com outras almas e também podem escolher reencarnar na Terra e continuar ajudando a evolução deste mundo, e naturalmente continuarão tendo na experiência de vida na Terra muitos desafios e aprendizados, porque a vida sempre continua em constante fluxo de crescimento e expansão.

Venus para aqueles que se preparam para se unir novamente aos seus pais estelares terá a função de limpeza, purificação e resgate das vibrações primordiais do seu ser. O que significa permitir que você descubra quem você é, quais as suas verdadeiras tendências de alma, se libertando do desejo originário da orbe terrestre que é se adequar ao mundo a sua volta. Vamos dizer que quando um espírito está encarnando na Terra há muitas existências, naturalmente ele se adapta as tendências, costumes, modas, energias do lugar, e passa a assumir essas referencias como suas. Assim é preciso um sério trabalho de desapego e desconstrução dessa bagagem que foi importante nesse percurso, mas que não deve ser um peso para o próximo patamar.
Assim em datas especiais em que acontecem esses alinhamentos planetários é importante compreender como usar essa força cósmica a favor da sua evolução, pois não se trata de um ritual externo, e sim de mais uma chance de expansão da consciência.

No caso do Wesak a lua cheia mostra que o Sol alinhado a este satélite está na constelação de touro, com a presença de Venus puxando a sua consciência para as vibrações sutis que estão sediadas lá.
Nestes dias de plenilúnio foque sua atenção no desapego. Peça para ter coragem de abrir mão de suas opiniões, pensamentos, tradições, idéias cristalizadas. Abra-se ao novo, a uma nova forma de ver a vida cheia de luz e de amor. Peça e permita que energias venusianas e solares curem você da doença do ego, do desejo de conduzir as coisas, da vontade de ter sempre a ultima palavra e os desejos realizados. Se deixe guiar, se deixe cuidar.
No dia do plenilúnio em Touro o Wesak reúnam-se em orações, cantem mantras, elevem a vibração.
O despego é fundamental para a ascensão.

Mensagem enviada por Vywamus
Para aqueles que desejarem se aprofundar em mensagens deste ser sugiro a leitura do meu livro "Os doze raios e a expansão da Consciência" e "Os filhos de Órion"ambos da Madras editora.

Um beijo a todos,
Maria Silvia 

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Canalização - Uma só mente, um só coração


Nome Chave: Uma só mente, um só coração
Mestre: Radha de Órion
Data: 23/05/2012 
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 18 ANO 14  (mp3) - Clique aqui




Uma só mente, um só coração

Amados filhos, uma só mente, um só coração. Deus está no princípio de cada um de vocês, no sentimento de cada uma de vocês. Quando vocês brigam com alguém vocês brigam com Deus, quando vocês ofendem alguém vocês estão ofendendo Deus. Quando vocês deixam de falar com alguém vocês deixam de falar com Deus. E isso se torna infinitamente pior quando vocês fazem isso consigo mesmos, muitas pessoas praticam de forma inconsciente o autoabandono.

Se voltam pro o mundo material, para as coisas, para as belezas, para os prazeres que o mundo teoricamente pode oferecer e se esquecem de ouvir o sentimento, a força do espírito, da alma. O autoabandono distancia vocês da consciência divina que está em cada um de vocês. Esse momento planetário, este momento em que vocês vivem e que sempre foi falado como a separação do joio e do trigo é um momento de profunda importância, porque é um momento que aquelas pessoas que tem, que ouvem o chamado espiritual devem se envolver com a realidade espiritual a consciência de que são almas espirituais, e que estão aqui para se desenvolver, para aprender a dizer sim, para aprender a dizer não, para fazer escolhas, para perdoar, para crescer, para amar, para caminhar, para aprender a falar a verdade, para vencer os seus vícios e más tendências.

A Terra meus amados é um planeta escola, as lições o tempo inteiro são passadas a vocês. Não há um dia sequer que não aconteçam as lições e as tarefas. E enquanto durar a sua encarnação irá durar as lições que vocês vão enfrentar, mas, não vejam isso com tristeza. Olhem para as crianças, como os pequenos vão pra escola. Eles vão alegres porque lá eles vão ter diversões, eles vão encontrar amigos, porque lá eles vão trocar o seu lanche, porque lá eles vão brincar, brigar, correr, saltar. Porque lá eles vão ter professores que vão acolhê-los.

Observem os pequeninos, a maioria dos pequeninos gosta de ir pra escola, e somente quando crescem, quando vão ficando mais velhos é que as crianças começam a não querer estudar, a não querer fazer as lições. A dizer que tem dificuldade, algumas dessas crianças apresentam dificuldades reais, e outras apresentam dificuldades por preguiça, por indolência, por rabugentice, por não ter vontade de fazer aquilo porque aquilo é uma regra, e aí começam a apresentar sinais de rebeldia e se fecham no seu mundo, e deixam de querer aprender, de querer produzir. Se esquecem dos amigos, passam a ver nos colegas competições e muitos de vocês se comportam como esse adolescentes.

Se comportam como essas crianças que foram tão mimadas, tão cuidadas e que chegam na idade mais madura e que se acham donos da verdade e que querem aproveitar a vida sem  aprender as lições. Meus filhos, meus amados façam as pazes com o seu destino, fazem as pazes com as suas lições. Nós concordamos com vocês, algumas lições são muito difíceis. Algumas lições de fato são dolorosas, mais elas se tornam mais dolorosas pelo nível de resistência que vocês colocam para si mesmos. Se vocês não resistirem tanto, se vocês não colocarem tantas barreiras, naturalmente a lição se tornará mais fácil. Quando vocês sofrerem com as situações da vida, quando vocês sofrerem com as situações que vocês mesmos sentem no seu comportamento, na sua capacidade ou na sua incapacidade, perguntem pra Deus:

Meu Pai, o que eu tenho que aprender com isso? Por favor Deus, me ajuda a entender o que eu eu tenho eu entender com essa lição. Que comportamento eu tenho que mudar? Que atitude eu tenho que tomar diferente de tudo que eu faço. Por que que isso se repete na minha vida?

Façam essas perguntas, sejam alunos aplicados. E se não tiverem a resposta na hora, no dia, no mês, no ano. Façam de novo, e observem os sinais, observem as pessoas, observem a vida, observem as mensagens que vem até vocês. Porque é através desses muitos sinais, das pessoas, dos ambientes que vocês encontraram as respostas. E nós sabemos que em alguns momentos é bem difícil dar o próximo passo, é difícil terminar um casamento, é difícil mudar de trabalho, encontrar um novo emprego, perdoar alguém que você amou muito. São tarefas difíceis, perdoar a si mesmo, se enxergar como alguém de luz com merecimento, tudo isso é muito difícil.

Mas quando você vence essas etapas o planeta escola serviu aos seus propósitos. Amem esse planeta escola, aqui é o seu lar, aqui é a sua vida e é aqui que a sua alma pode aprender tantas coisas lindas, sejam como as crianças que vão felizes pra escola. Encontrar os colegas, os amigos, aprender a se socializar, aprender estar com os outros, relevando muitas coisas, não criticando tanto os outros, tendo amor para dar as pessoas, um sorriso. E as vezes mais do que a sua palavra o seu silêncio, mas não o silêncio do abandono, o silêncio da paz. Tranquilizem o coração de vocês e aceitem estar nessa escola, uma escola linda, uma escola que serve vocês e serve o propósito divino.

A Terra é o lar de muitas hierarquias espirituais, de seres vindos de outros planetas, de outras esferas, de outras constelações, por isso que muitas vezes vocês encontram pessoas, se deparam com energias tão diferentes de vocês. Vocês não tem a mesma origem cósmica, vocês não vieram do mesmo lugar. Por isso tantos diferenças, por isso tantos pensamentos, valores, ideias, intensões diferentes. Na Terra vocês usam o mesmo uniforme, que é esse corpo físico. E nesse momento em que o planeta é convidado a entrar num equilíbrio, num alinhamento energético e espiritual que envolve não apenas o externo, mas tudo aquilo que vocês sentem.

Vocês estão sendo convidados a se equilibrar no seu eixo de novo, e a volta aos seus mundos de origem, as suas hierarquias, o contato com os seus mentores, com seus amigos espirituais, pra eles vocês levaram essas lições que aprenderam na Terra, por isso vocês vieram pro planeta e é com isso que vocês devem sair. Uma lição de amor, de autosuperação, de compreensão e de luz. E o treino aqui é com o seu semelhante, é com aquelas pessoas que estão próximas, com a sua família e com vocês mesmo. A máxima de tudo isso é a compreensão, é o amor, é estar firme no coração de vocês.

A serviço da Fraternidade Branca Eu Sou Radha de Órion, e envio a vocês meu profundo amor e a minha profunda luz. Saudando a mãe divina, saudando a energia da Terra com todo o amor e todo o respeito. Muitos dos meus filhos estão aqui encarnados, e estão aprendendo a se respeitar mais e a se amar mais.
Recebam bênçãos e luz e sigam em paz, paz.

Canalização - O amor não lhes pede a perfeição


Nome Chave: O amor não lhes pede a perfeição 
Mestre: Hilarion e Radha
Data: 16/05/2012
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 17 ANO 14  (mp3) - Clique aqui 




O amor não lhes pede a perfeição

Amados filhos, o amor não lhes pede a perfeição. O amor lhes pede apenas o amor, quando você faz o exercício de querer ser perfeito muitas vezes você radicaliza. Você exige mais de si e mais das pessoas do que deveria exigir. Você se torna alguém pesado, e ainda que as suas intenções sejam boas elas se perdem. Porque é como a força de um vulcão que tem todo o potencial de luz, e é a energia primordial da Terra, mas, quando sai o primeiro movimento é destrutivo. Nós preferimos o esforço constante, a regra, a conduta moral, amorosa, ética no cotidiano.
É ai que vocês podem se fortalecer, e esse é o verdadeiro caminho espiritual. As explosões de luz não tem sustentação, e ainda que elas aconteçam com um propósito mais de criar alguma de fazer um grande movimento, de provocar uma grande transformação. Se não houver a constância, se não houver a disciplina, se não houver a rotina amorosa e continuada num trabalho espiritual ele se perde.
O espiritual pode ser um encantamento, um momento em que as pessoas descobrem a sua força, descobrem a sua luz e isso é muito feliz. Mas, depois desse encantamento deve se tornar uma prática constante, de ver o outro com amor, de ter paciência com o outro, de conviver de forma mais tranquila e menos competitiva. A Terra não suporta mais tanta competição, o planeta, as construções, as cidades, as empresas não suportam mais pessoas querendo a qualquer custo ser o melhor e fazer o melhor.
A vibração de ladrões, de egoístas e de famílias que detêm o poder só para si, sem compartilhar, sem compreender os outros e o seu papel na sociedade, não cabem mais neste planeta. A família cósmica, a família espiritual da qual todos vocês fazem parte é uma família que deve se fortalecer através da conduta, através do todo dia, através do amor. Enquanto as pessoas se perdem competindo como fizeram a séculos, provocando guerras e crescendo através das guerras o planeta se degenera, se corrompe, as matas são devastadas, as crianças deixam de receber a educação e os adultos se esquecem que são espíritos na matéria.
É hora de modificar toda essa vibração, e de cada um assumir o seu pequeno papel. E fazer o seu pequeno papel melhor e mais feliz. E o seu pequeno papel melhor e mais feliz você faz na família, nos colegas de trabalho, nas pessoas com as quais você se relaciona, no seu dia em cada uma das vinte e quatro horas que lhes são oferecidas como lição. Não queiram ser perfeitos, não se exijam a perfeição, cobrem de si a verdade nas suas atitudes e o amor. Se vocês tiverem a verdade e o amor, estarão protegidos do erro e próximo do coração. Eu Sou Hilarion e faço mostrar a verdade, é importante que vocês vejam a verdade. É importante que vocês olhem, observem corajosamente os seus comportamentos e atitudes.
Porque o mal e o bem nascem em vocês e o mal e o bem pode morrer em vocês. Quando algo muito lhes acontece acredite nesse bom, e quando algo muito ruim lhes acontece investigue a fonte do mal e abra mão dela, não carregue com você. A força é sua, seja íntegro na sua verdade e muito forte no amor. A Terra também é convidada a se alinhar nesse movimento cósmico, vocês em suas vidas e a Terra como um grande ser espiritual que ela é também. O Planeta tem um espírito, cada planeta tem um espírito, da mesma forma que vocês habitam um corpo a densidade da Terra também tem um espírito, tem uma Terra espiritual e essa Terra espiritual está sendo elevada a uma consciência superior. Essa Terra espiritual está sendo convidada a evoluir.
 As cidades e o centros de cura e de estudo que existem no plano sutil da Terra estão sendo reformulados, o grande movimento que está inspirando a mente de muitas pessoas com relação a sustentabilidade, faz parte dessa evolução de consciência. As suas crianças, os seus filhos já nasceram diferentes de vocês. Não são almas perfeitas, mas, são espíritos com maior compreensão e maior amor. E a eles vocês devem dar toda a sustentação, pra que façam a mudança deste mundo num mundo melhor, mas, essa consciência vem de vocês e quanto mais vocês despertarem para essa doação de amor, essa compreensão de viver a verdade com amor e de descartar aquilo que não é amor e que não é verdade, dará toda a força para transformação planetária.
Estamos todos trabalhando ativamente para ajudar o despertar desta humanidade, espíritos de muita luz estão vindo para perto de vocês. E muitos de vocês serão chamados no desencarne no momento adequado a cada um de vocês a se reunir a sua família espiritual, e essa reunião com a família espiritual, com seus mentores, seus guias e a sua hierarquia dependerá de atitudes diárias aqui na Terra hoje. Dependerá da evolução da sua consciência no seu dia-a-dia, o trabalho espiritual não é para depois é para agora, o trabalho espiritual é para hoje você vibrar mais feliz, mais consciente, mais amoroso e mais lúcido.
Nós não estamos mais nos preparando para o amanhã, estamos nos preparando para hoje e no momento em que você está mais iluminado, mais feliz, mais alegre hoje, cumprindo a sua missão de felicidade, amor e alegria hoje. Mais próximo você está daqueles que cuidam de você e que vivem no plano espiritual a verdade e o amor, em sintonia com o amado Mestre Hilarion, Eu Radha estou presente aqui. Acompanhando o desenvolvimento de vocês, filhos da minha luz. Abençoo vocês cada um de vocês, e lhes peço coragem nessa caminhada, determinação no seu bem. Força na sua luz, comprometimento com o amor e com a verdade. Tenham paz.

Canalização - Para onde você vai?

Altar da Chama Amarela por Nô Figueiredo
Nome Chave: Para onde você vai?
Mestre: Lanto
Data: 09/05/2012
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Áudio: 
 ALPHA LUX 16 ANO 14  (mp3) - Clique aqui 

Para onde você vai?

  Eu fui um monge e um dia me perguntaram para onde eu ia. Naquele tempo eu estava há muito pouco tempo envolvido nesse caminho espiritual. Eu não sabia muito bem os meus objetivos eu sabia apenas que eu estava fugindo do mundo, fugindo de desavenças na minha casa, de situações de pobreza, de muito desgaste emocional. E eu achava a minha família a pior família do mundo porque eram muitos conflitos.
E eu me senti muito importante, muito feliz e especial quando eu raspei o meu cabelo, quando eu vesti as vestes do monje. Novas, reluzentes, brilhantes sem histórias como uma roupa nova deve ser. E naquele tempo eu valorizava muito as coisas novas, eu mesmo era novo. E eu achava que eu tinha que eu teria que fazer a minha vida, e que o voto pelo caminho espiritual seria tudo de bom para mim. E quando me perguntaram pra onde eu ia, eu fiquei muito perplexo com a pergunta porque eu não tinha a menor ideia, eu iria aonde me mandassem.

  Eu estava chegando naquele mosteiro, eu estava chegando naquele ordem e eu iria pra onde o vento soprasse, o vento dos meus superiores. E quando a pessoa me perguntou pra onde eu ia, toda aquela sensação maravilhosa de estar com aquela roupa nova de repente desapareceu porque percebi que eu não sabia para onde eu ia. Percebi que o meu destino não estava nas minhas mãos, eu percebi que eu havia me desligado de uma família em busca de um caminho espiritual e que eu estava caindo numa outra família. E quanto mais eu pensei no que eu iria responder pra aquela pessoa que me perguntou, menos resposta eu tive.

  Eu busquei dentro de mim, eu queria falar algo bom, algo que fosse impactante, bonito. Porque eu imaginei que um monge tinha que ter respostas, um monje tinha que saber o que dizer, tinha que saber o que aconselhar. E foi ai o primeiro momento em que eu entendi o velho ditado “as vestes não fazem um monge”. Eu não me fiz monge naquela resposta, nem tão pouco na pergunta. E o tempo que se seguiu a esse foi um tempo muito difícil pra mim, porque eu vi que eu tinha fugido de muitos conflitos, que eu não gostava de conflito. Que eu tinha medo das brigas, que eu tinha medo das pessoas. Que eu não queria magoar as pessoas, que eu não queria dizer para elas as minhas verdades, que eu não queria ter verdades.

  Eu observei que eu era muito humano, e que eu queria me dar bem com todo mundo, eu queria ser amoroso com tudo mundo, eu queria que todo mundo fosse amoroso comigo, o mundo perfeito, o mundo sem conflito. Era isso que eu sentia, era isso que eu pensava e por isso eu fugi da minha família, a minha família era cheia de conflitos e as pessoas eram cheias de complicações, de ambições, de sonhos, de disputas, de competição. E ai me deram muito chão para varrer, me deram muitos muros pra limpar pra pintar, batatas pra descascar, banheiros pra arrumar. E eu fiquei muito chateado com a minha vida de monastério porque era só trabalho.

  Para quem achava que teria grandes experiências espirituais, que iria fazer orações e nas orações porque eu era um monge iria ter grandes encontros com Deus, com santos, com espíritos e almas iluminadas. Eu me deparei numa vida muito corriqueira, talvez mais simples do que a vida que meu pai levava, que meu pai era um homem das letras, ele sabia escrever, ele recitava poemas. E de repente eu que tinha tanta vontade de me distanciar do meu pai, que busquei tanto estar longe daquela família, comecei a sentir saudades dele. E enquanto eu varria o chão eu pensava o quanto eu tinha desprezado a vida que ele quis me oferecer. E pareceia um castigo, mas, todas as vezes que eu me lembrava daquele passado eu tinha serviços mais humildes para fazer.

  Pensei muito no meu pai enquanto limpei banheiro, porque eu desprezei as coisas que ele tinha pra me oferece rolhando para o lado ruim daquilo que ele também tinha. E foi nesse período que as minhas vestes se sujaram e se gastaram muito, e que meu cabelo cresceu  muitas vezes, e que muitas vezes eu tive que cortar de novo porque eu não tinha o privilégio que outros tinham de não ter cabelos. Eu era uma pessoa cabeluda, e foi muito cansativos muitas vezes tirar os cabelos e ao mesmo tempo eu pensava assim, que também tire os meus maus pensamentos. Porque eu me lembrava dos meu irmãos, eu me lembrava da minha mãe, e tantas foram as lembranças de um tempo que eu não seu precisa do tempo que eu vivi nesse monastério, eles me deram o direito de ver a minha família.

  E quando eu me encontrei com eles eu percebi que eu estava muito mais silencioso, que eu tinha forças pra me manter em silêncio, pra ouvir aquelas pessoas, pra observar os seus jestos, pra observar os seus movimentos. Eu vi que eu tinha o meu silêncio para oferecer a eles, e através do meu silêncio eu ouvi tantos histórias que eu nunca ouvi, e que essas pessoas sempre falaram para mim, mas, eu era jovem e eu não tinha paciência de ouvir ninguém e eu achava que a minha verdade era a grande verdade. E eu não tinha nenhuma preocupação em me colocar no lugar do outro, pra ouvir a vida do outro. Eu queria me colocar a minha verdade, e de repente eu estava ali ouvindo.

  E eu fui tratado com bons olhos, e eu fui recebido mais forte no coração porque eu me permiti sentir com o coração. E aquilo abrandou muitos dos meus sentimentos, abrando muito das minhas dores, me trouxe força. E quando eu voltei pro monastério eu sabia que eu estava dando um passo importante, e se alguém me perguntasse pra onde eu ia naquele momento eu saberia a resposta. Eu estava indo pra um lugar que só eu podia ir, e esse lugar era o meu coração. Depois desse tempo eu entendi que a espiritualidade estava no meu coração, e que aquela paz que eu queria tanto ver nos relacionamentos, nas pessoas, no mundo, tinha que estar dentro de mim.

  E eu entendi também que a paz tem início no silêncio, e não apenas no silêncio dos lábios que não se movem, da língua que não é usada para soprar sons, mas, no silêncio do coração sem conflito, no silêncio da mente sem julgamento, no silêncio dos olhos que se deixam conduzir e olham para onde devem olhar. Do silêncio dos ouvidos que não querem encontrar os erros das palavras, das sílabas, das falas, eu entendi que o silêncio tinha que estar dentro de mim pra que eu pudesse um dia alcançar o coração. E ai eu estaria sem conflito, não queria mais impor a minha verdade a verdade de ninguém, impor o meu mundo ao mundo de ninguém, não veria tantas injustiças, porque dentro de mim haveria mais compreensão.

  As pessoas não iriam mais precisar se justificar tanto pra mim, porque eu iria compreendê-las antes das palavras virem as suas bocas. Meus filhos, meus amados filhos eu ofereço a vocês o maior presente que alguém pode ter, o presente da minha iluminação que foi o silêncio. Silencie, aprenda a silenciar a mente e o coração. E assim a vida de vocês terá dado um passo para a solução de qualquer conflito que vocês carreguem dentro de vocês, de qualquer dor, de qualquer pobreza, de qualquer mágoa, de qualquer insatisfação, de qualquer desejo não completado. Silêncio, como eu sempre falo eu não nasci Lanto, Eu me tornei. Eu aprendi esse caminho pra me tornar a pessoa que eu sou, e se um dia eu perder a humildade que o silêncio e só o silêncio ensina, então, não mais eu serei quem eu sou.

  O profundo Eu Sou de cada um de vocês é preenchido de silêncio e de amor, existe uma profunda cura no silêncio e no amor. E nessa linda lua de Wesak, esse é o maior presente. Porque através do silêncio Deus fala com vocês, através do silencio ele lhe dá toda a fortuna e a glória, toda a saúde e a felicidade. Porque as coisas da vida do mundo, toda vão passar. Agora vocês são eternos, espíritos iluminados em Deus e quando há essa profunda conexão com Deus realmente o seu espírito se ilumina. Nesse plano de existência que nós estamos, que vocês estão todos nós somos como a lua, precisamos do sol, da energia de Deus pra que faça brilhar a nossa própria luz.

  E é com todo o meu amor, reverência e silêncio que eu emano pra vocês a minha luz. Abençoado seja com o silêncio de uma mente sem perturbações, de um coração puro e de profundo amor. Recebam amados, recebam.