domingo, 4 de agosto de 2013

Será que tudo se traduz no olhar?


Há algum tempo inspirada na prática ativa do perdão, que sugere a auto observação e ensina que manifestamos tudo que existe à nossa volta, comecei prestar ainda mais atenção no meu comportamento.
Buscando o resgate da luz pessoal, da auto estima, do levante das boas qualidades, me deparei com uma grande verdade, a de que o mundo realmente nos oferece aquilo que criamos conexão. O que significa que podemos mudar aquilo que manifestamos na nossa vida, e que devemos observar o que damos força, e onde focamos energia.
Então nosso olhar faz toda a diferença. Não somente na hora  que queremos, mas em todas as outras horas em que nem prestamos atenção.


Tentando colocar em prática os estudos espirituais, comecei a ativar ainda mais o hábito de observar as coisas, e as pessoas, e até os lugares à minha volta. E isso tem sido uma experiência muito rica, e muito feliz. Tento colocar um olhar doce, não julgar, observar.
Observar inclusive o que muda quando coloco um olhar mais doce, ou quando sou dura...


Sou observadora por natureza. E gosto das pessoas...
Isso sempre foi assim, mas confesso que tenho um lado muito introspectivo. E costumeiramente me deixo absorver por mim mesma. O que significa que estou no mundo, estou com as pessoas, mas nem sempre totalmente presente. Aliás acho que a maioria das pessoas faz isso. 
Normalmente as pessoas estão nos lugares, nos eventos, nos encontros, mas ao mesmo tempo pensando em outras coisas, ou simplesmente pensando nos seus problemas, buscando soluções. 
Buscando esse olhar consciente, tenho nas minhas caminhadas pelo bairro onde moro, olhado com mais atenção as casas, e as paisagens. Até tirei fotos, que agora compartilho com você.


Veja que lindo o Santuário da Igreja Nossa Senhora de Fátima, que fica aqui perto.
Podemos passar por um lugar lindo como esse, e nem observar, principalmente quando nos acostumamos, quando aquilo faz parte do nosso dia à dia.
Podemos simplesmente ignorar os fatos, as pessoas, os lugares, focando o pensamento apenas em nós, e em nossos "terríveis" problemas. 
Mas isso é certo?


Já reparou que muitas vezes numa simples conversa você em vez de prestar atenção no outro, já está pensando no que vai responder, ou observando a roupa do outro, ou a maneira da pessoa falar, ou gesticular?
Às vezes nessas conversas se você está triste, ou com medo, ou com raiva. Olha tudo isso, nem observa, e simplesmente solta sua resposta da forma mais estúpida. 
Já aconteceu com você?
E depois? Ai vem o arrependimento, ou o sentimento de que não somos amados ou compreendidos...
Mas você observa que energia está colocando na sua vida, nessas horas?
Percebe onde vaza, onde perde o seu poder? Onde numa briga, estava com o espirito pré concebido? Onde já tinha a reposta pronta?
Fazemos isso quando estamos presentes fisicamente, e ao mesmo tempo, não estamos abrindo a mente e o coração para observar às pessoas.


Vamos deixando as coisas passarem por nós. Vamos perdendo os detalhes, e nos fechando no nosso pequeno, e infeliz mundinho.
Veja que lindo detalhe nessa casa, aqui do Sumaré!
Eu e meu marido, chamamos de casa do astrólogo, por que bem no alto a gente vê um relógio com a representação dos signos.
Sempre tive vontade de entrar lá. E fico imaginando o cuidado, os planos que o dono dessa casa fez.
Quem será essa pessoa? Estará vivo?
O que ele pensava? 
O que planejou quando colocou esse relógio na fachada?


As pessoas são incríveis, guardam coisas lindas dentro delas.
Nós guardamos coisas maravilhosas, sempre esperando que alguém nos toque, nos ame, nos deixe mostrar aquilo que realmente somos. Como se um tesouro tivesse que ser reservado para um uso especial.
Como se um brilhante se gastasse ao brilhar generosamente.
Será que devemos agir assim, nos guardando do mundo, esperando a oportunidade de oferecer amor, de fazer melhor?

Tenho certeza que o mundo à nossa volta merece um olhar mais profundo, e as pessoas uma chance de se mostrarem para nós, e nós para elas.

Como dizem os mestres: Vamos na luz.!
Vamos ousar observar mais, estar mais presentes, e nos mostrar mais também. E vamos ver quais serão  os resultados.

E você o que pensa disso tudo?


Aproveito a oportunidade para convidar vocês para uma atividade Gratuita:
Domingo dia 4 de agosto 18:00 em Alpha Lux Cerimonia Especial de Mantras e Orações em sintonia com os Valores Humanos ensinados por Sai Baba.

Um beijo da MS

17 comentários :

  1. Belíssimo texto! Parabéns, Silvia. Tem muito de mim neste texto, pois sempre acho que tenho muitas coisas boas para oferecer e na hora de expor, dou espaço ao julgamento; aos detalhes, e deixo de lado a compaixão e a humildade. É muito fácil olhar para o irmão com um olhar crítico, mas o difícil é se colocar em seu lugar; conhecer suas dores; sua trajetória de vida. Peço que Deus me perdoe e que as pessoas também, quando, em momentos que poderia ajudá-las, infelizmente as julguei, mas a vida ensina e o momento que tenho pra aprender é agora. Os erros do passado foram válidos sim, e o arrependimento é a certeza de que estarei pronto para fazer o melhor; diferente, porque como diz Madre Tereza de Calcutá, quem julga não tem tempo de amar. Se a minha missão nesta vida é ser mais sensível às falhas humanas, que se cumpra em mim tal propósito, porque viemos pra esta vida com a missão de evoluir e sobretudo, amar, sempre. Beijos e fica com Deus. Só Ele poderá te retribuir este espaço maravilhoso que vc nos concede. Felicidades! João Paulo Domingos de Sousa.

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Como Osho disse: A vida em si é neutra. Nos a fazemos bela. Nos a fazemos feia.
    Vamos treinar o nosso olhar e nosso coraçao para ver o lado bom de tudo.
    Tudo de bom,
    Tati Fpolis.

    ResponderExcluir
  3. Verdade. Muitas vezes estamos tão "dentro" dos nossos problemas q deixamos a vida passar, as pessoas passarem, e não damos atenção ao q esta acorrendo a nossa volta. Estamos em um determinado lugar e ao mesmo tempo não.Nossa mente não se faz presente, somente o corpo.

    ResponderExcluir
  4. Gratidão pelas palavras, venho o mês de julho inteiro desenvolvendo um novo olhar, difícil tarefa, pois anos fazendo o exercício contrário.Como disse os oráculos, este mês será o mês dos encontros, portanto sorverei suas palavras na busca de novos conhecimentos e luz. Namaste

    ResponderExcluir
  5. Desde que entrei de cabeça nos estudos espirituais vim me aperfeiçoando, lógico que de vez em quando dou uma baqueada, mais acho que é normal, e além disso serve tbm pra chamar nossa atenção em o quanto de fato confiamos. Aprendi desde muito pequena a observar as coisas a minha volta, de uma simples florzinha em um simples matinho até o comportamento das pessoas ao meu lado. O bacana disso tudo é que hoje em dia me coloco muito mais como observadora do que como julgadora. As vezes levo um puxão de orelhas dos mestres e caio na real, sem julgar. Contemplar , é essa a palavra,quando se contempla se vê detalhes, se enxerga melhor a vida como um todo.Amo vc Maria Silvia!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Poxa!...andei um bom caminho de introspecção esses últimos 1 ano e meio...aprendi a me interiorizar e tive resultados sensacionais. Não convivi tanto com as pessoas e procurei quase que somente as questões espirituais! Ultimamente, ao buscar a presença na matéria com as pessoas, tenho me sentido mais pesada, densa....realmente é uma arte isso tudo! As vezes acho que estou perdendo a conexão...mas, ao mesmo tempo me vem que nós não perdemos nada...e a qualquer momento que voltarmos a nos equilibrar continuaremos do ponto de onde estamos!
    isso é uma coisa onde preciso melhorar...mas se contasse minha história, veria que já é uma vitória estar onde estou!
    Obrigada MS, cada mensagem que tiro no oráculo é apropriada para mim!
    Agora sim...sou trintona! Na verdade não ligo muito pra isso...idade, alta moda, beleza corporal....não me sinto eu quando cultivo isso! Acho e admiro coisas bonitas, mas, para algumas delas nem ligo tanto!
    : D

    ResponderExcluir
  7. É uma bela reflexão....como nos perdemos na rotina agressiva das grandes cidades...e muitas vezes esquecemos de um simples olhar...

    Abraço
    Silvana

    ResponderExcluir
  8. Sábia reflexão MS. A questão de estar presente nos lugares, situações e com pessoas e ao mesmo tempo não estar é quase que um piloto automático de nossa mente. Por isso é tão importante silenciar e deixar as impressões para fora; pelo menos venho praticando isso. Muitas e muitas vezes recriei o padrão de comportamento sitado no seu texto. Até em reuniões espirituais é difícil estar 100% presente e conectado. Gostei muito desse trecho, durante muito tempo foi assim que me expressei e acredita que "àquela" pessoa que terminei/terminou um relacionamento, num dos nossos primeiros encontros, me disse justamente isso:"Onde é que eu estava me escondendo, como ninguém havia me descobrido...". Na verdade, fui eu quem não me permitia ser EU mesmo. Bj.

    "As pessoas são incríveis, guardam coisas lindas dentro delas.
    Nós guardamos coisas maravilhosas, sempre esperando que alguém nos toque, nos ame, nos deixe mostrar aquilo que realmente somos. Como se um tesouro tivesse que ser reservado para um uso especial."

    ResponderExcluir
  9. Esse texto nos apresenta dois grandes ensinamentos. O primeiro é "o mundo realmente nos oferece aquilo que criamos conexão." Isso significa que todos os acontecimentos pelos quais estejamos passando fomos nós quem os criamos (como já nos foi ensinado tantas vezes, inclusive em outros posts). Por isso se estamos sofrendo podemos desfazer esse sofrimento...e como fazer isso? O segundo ensinamento do texto nos dá uma pista para essa questão: Estando presente nas situações. O texto diz que a maioria das pessoas, inclusive a própria MS autora do texto, "está no mundo, está com as pessoas, mas nem sempre totalmente presente."e se vc não está presente, se está sempre absorto nos seus pensamentos vc "vai deixar as coisas passarem e se fechar no seu infeliz mundinho", criando mais e mais conexão com a tristeza e o sofrimento, e assim criamos a conexão com circulo vicioso do sofrimento. Nesse caso, o desafio então é sairmos de nós mesmos um pouco e interagirmos mais com o mundo..bah mas como é dificil...somos muito mentais e nos distraímos com os pensamentos facilmente!! talvez mais trabalho com os chacras básicos e cardíacos, possa nos ajudar a ficar mais na terra. Se nascemos aqui, é para interargimos aqui!! Agora fazendo a conexão do texto com minha situação atual, digo que o estar presente é cada vez mais dolorido quando se está num lugar com outra lingua e costumes. É muito fácil se perder nos seus devaneios, quando vc parou de entender a primeira metade da frase em outra lingua que seu interlocutor proferiu...E por falar em devaneios, cá estou devaneando novamente...(risos). Gratidão pelo ensinamento de hoje!

    ResponderExcluir
  10. Este texto me remete a generosidade que nós, seres humanos, ainda não aprendemos a ter. Não digo em generosidade de apenas querer agradar ou se parecer gentil, mas sim a generosidade que vem da alma, do amor que temos dentro de nós e deixamos restrito apenas para quem queremos que o receba. Eu venho trabalhando comigo mesma o saber ser generosa e saber amar, e sempre me lembro da frase: "eu meu doou com amor, eu recebo com amor"; e os resultados deste meu novo comportamento eu tenho sentido na reação das pessoas comigo. Reação de gentileza também. Tenho sabido olhar os outros e as coisas com amor, e enxergo um mundo precisando do meu amor, do mundo precisando de pessoas que também despertem para este novo olhar. É muito complicado ter este olhar pois somos cheios de problemas, mas com os nossos problemas também devemos saber lidar e enxergar com amor para conseguir resolver. E é na confiança em Deus, que conseguiremos chegar mais longe com esse amor, um amor puro, um olhar de generosidade. Beijos para todos!

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde MS ! Por ser observadora é que cheguei até você... graças ao seu livro, Os Filhos de Órion, na estante do Espaço Flor de Lótus, aqui de Piracicaba, Sou grata a você e aos Mestres, pois tenho certeza que foi um convite muito especial !!! Bjo e carinho !

    ResponderExcluir
  12. Muito lindo o texto!
    Me identifiquei demais quando você diz que nós guardamos coisas maravilhosas, sempre esperando que alguém nos toque, nos ame, nos deixe mostrar aquilo que realmente somos. Como se um tesouro tivesse que ser reservado para um uso especial.
    Sendo que devemos ser nosso melhor agora! Para todos, a gente só recebe o que a gente coloca na vida!
    Muito obrigada! Kelem

    ResponderExcluir
  13. omo voce maria silvia sou observadora e amo olhar as pessoas, procuro silenciosamente encontrar um pedacinho de mim em cada olhar anônimo que vejo e sinto por aí..
    Ao passar os olhos por pessoas, lugares e situaçoes cotidianas.. aprendi ao longo da caminhada a encontrar também a beleza pelo desconhecido e me permitir me sentir tocada, emocionada por sorrisos de quem não conheço, por um beijo apaixonado e até mesmo por simples olhares sinceros capturado por mim em lugares mais inusitados..
    Sao tantas as pessoas que habitam esse mundo afora, tantas vivencias, muitos aprendizados que estão ali.. prontos para fazer parte, para somar para comungar com qualquer pessoa..

    Aprendemos com os mestres que parte da nossa essencia divina mora também a essencia do outro que silenciosamente habita cada um de nós... somos parte de um de um todo..e acho que por isso olhar para fora faz parte de mim de forma tão natural..
    Acredito na força do amor e sobretudo na evolução do mundo e imagino que o silencio fruto da indiferença entre as relações humanas vai abrir as portas para o amor universal e assim interagiremos de forma mais amorosa, aberta, calorosa, mais natural e não tão artificial como hoje é.. será que seremos capazes de amar tão facilmente o outro? espero que sim, acredito que sim.. esse é o meu relato nesse mês especial.. obrigada mais uma vez por ser simplesmente como voce é trazendo textos especiais para agradar nosso coração

    yasmine

    ResponderExcluir
  14. É curioso, querida Maria Sílvia, por que tudo o que você transmite pela via das palavras escritas, de alguma forma tenho a sensação de que sou eu que estou falando,sentindo e sendo, sem que seja eu. Acho que sei o que é :)) É o tal do Eu entrando no outro Eu sendo a unidade, mas, com sua individualidade. Sinto algo parecido a isso... É mesmo muito boa essa sensação :)) Quando li um livro seu que tenho em casa "Os sete mestres", acho que há uns 3/4 anos - em todas as minhas meditações eu sentia "necessidade" de deixar seu livro por perto. Talvez, isso se chame sintonia. Mas, nada que "prenda", ao contrário, é algo que liberta, por que identifica, reage e confirma. Senti vontade de te dizer o porquê de acompanhar suas publicações, para te agradecer também. Beijos & sorrisos, com asas e liberdade :))

    ResponderExcluir
  15. Adorei o texto.
    Sobretudo a frase: "As pessoas são incríveis, guardam coisas lindas dentro delas."
    Acho que isso ocorre às vezes por medo, por pressa ou mesmo por não se permitir abrir-se para o outro.

    ResponderExcluir
  16. Belo post!!! A maioria das pessoas vive mergulhada num turbilhão de afazeres e nem se dá conta do que as rodeia...infelizmente!!! Gosto muito de observar o que a primeira vista parece comum mas que se olhado com olhos de ver, ah!!! quanta beleza!!! Tenho mesmo o hábito de observar a pressa das pessoas e o quanto nos tornarmos invisíveis uns apara os outros...sempre que identifico um irmão em situação desfavorável, faço uma prece e a peço a Deus que alivie seu sofrimento e agradeço as bençãos que recebo todos os dias sem me dar conta...que Deus permita que sejamos mais fraternos. Bjs, Lidia

    ResponderExcluir
  17. É exatamente isto que estou percebendo que preciso fazer na minha vida... Todos os dias eu alerto as pessoas que atendo para a necessidade de observar mais seu corpo, que podemos modificar atitudes para que ele não sofra mais ou nunca chegue a sofrer as consequências do abandono de si. E isto é complexo. Cada um tem seus motivos e sua história. Eu aprendo com cada pessoa, mas muitas vezes, eu não contemplo a vida como poderia. Me ajudaste muito. Grata...

    ResponderExcluir