sábado, 16 de novembro de 2013

Aprendizados de sacerdotisa






Ah essa nossa vida de sacerdotisa...
Dá um trabalho!
Claro que há um lado lindo, romântico, cheio de lembranças, e resgates de outras eras.
Mas há também muitos estudos, dedicação para lidar com a energia, com as ervas, limpezas, defumações etc. Pois mesmo que tenhamos muita intuição, e idéias sobre magia, é bem importante dar um grande espaço para o estudo formal, leituras, pesquisas, cursos, viagens. Por que ainda que possamos trazer lembranças de vidas passadas, se desejarmos progredir teremos que estudar.




Há também muita fantasia, e gente achando lindo, querendo fazer igual.
Assim se formam os grupos, e aparece o desafio da convivência, de saber lidar com o outro, de cuidar das pessoas, saber se colocar, saber o seu lugar, e o lugar do outro.
E vamos combinar... Isso não é fácil.
Ao longo desses anos tenho aprendido muito com a convivência, e hoje, graças à Deus tenho pessoas muito queridas, próximas, na mesma sintonia.
Que partilham objetivos, crenças, sonhos.



Mas não vamos pensar que a vida é o tempo todo florida, pois sempre existe o desafio da convivência. Algo que começa na família e segue nos acompanhando vida à fora, no trabalho, no grupo de estudos, nas amizades, e até no casamento. Conviver é sempre um aprendizado.
Foi lendo meus posts que a amiga, e terapeuta Simone Verzola lá de Florianópolis resolveu me fazer uma pergunta, que com certeza tem tudo a ver com os questionamentos de muita gente.

"Boa tarde Maria Silvia, tudo bem? Espero que sim!! Bom... te escrevo pois acho que você é a pessoa ideal para me ajudar em algumas questões, que pra mim, são muito delicadas.

Para te dar uma noção melhor e poder me auxiliar, tínhamos um Clã, filosofia Wiccana.  E devido a alguns motivos nos separamos. Mas nos separamos em termos de celebrações e rituais. Até hoje nos reunimos pra fazer uma comidinha, tomar um vinho e fofocar. Éramos 7 mulheres, fortes, batalhadoras e todas em busca da paz de espírito e autoconhecimento.  As coisas foram fluindo e eu, na maioria das vezes, era quem organizava os rituais, dava o direcionamento.  Mas o que acontecia, é que sempre tinha textos para serem lidos, ou alguma tarefa, muito tranquilo nada que tirasse um tempão de cada integrante para o ritual. Mas sempre havia textos não lidos ou tarefas não cumpridas, devido a correria do dia-a-dia. E como uma teia de aranha, uma dependia da outra  para fecharmos o ciclo, e se não fossem lidos os textos, nem sabia do que se tratava a celebração. Então isso foi esgotando. Foram surgindo dúvidas, ideias opostas, disputas de ego, acabamos por  não realizar mais os rituais. Decidimos preservar a amizade acima de tudo. Só que sempre tínhamos vontade de retornar as atividades. Todas adoravam, nossas caixas de emails chegavam a uns 50 por ritual rsss... era muito gostoso!
Então me pergunto até que ponto interferir na energia da outra pessoa?  Até que ponto se deve cobrar e deixar que pequenas coisas interfiram no andamento do ritual?  
Lidar com a opinião, com a energia alheia é muito delicado. Não basta só montar o altar lindo se não tiver o amparo, acolhimento, respeito e responsabilidade perante os membros do grupo.
Outra questão, mas isso é sobre mim mesma, é difícil eu lidar com a crítica, e muitas vezes nem falo nada com medo de gerar atritos. Então não sei o que fazer.  Será o meu ego que fala mais alto? Vaidade? 
Fico muito preocupada com a opinião dos outros. Meu Deus!!! São muitos meus questionamentos. E sinto que tem algo a mais em vidas passadas, pois isto me chama, me atrai, eu adoro, faz parte de mim. Quero muito de um dia  fazer uma sessão contigo de TVP. Pois esse meu medo, essa insegurança, são demasiadas.
Muita Luz e Obrigada!!!
Simone Verzola"


Entendo perfeitamente o que nossa amiga Simone relatou. É assim mesmo. Exige muita dedicação. Para um lindo ritual, são dias de preparo exigindo muito boa vontade e dedicação das pessoas, e nessa convivência surgem os impasses, os conflitos do ego, por que além de sacerdotisas, hoje somos mulheres que trabalham, cuidam de casa, filhos, marido, etc. Então manter a harmonia num clã, ainda que seja aberto, voltado a terapia, só com muito amor e com muitas concessões. 
Um treino diário de levar tudo com mais leveza. E é claro, minha amiga Simone, que alguém terá que se dispor a fazer mais, se entregar, gastar, cuidar e relevar. E se esse alguém é você, siga com coragem, por que os frutos da ação, estão na própria ação, no momento em que somos muito felizes em realizar nossa missão.

Beijos a todos queridos que seguem o blog, e um especial a você sacerdotisa Simone.

MS

Quem desejar entrar em contato com a Simone
Contato: 48 - 9944-3919 Site: www.simoneverzola.com.br


27 comentários :

  1. De fato se relacionar exige muito de nós, pra alguns é até simples pra outros como no meu caso não é. Ao contrario da linda moça que se preocupa com a opinião das pessoas, eu não me importo, pra mim sempre foi mais importante a minha a consciência do que minha imagem pelas pessoas. Também na vida passada fui uma bruxa e morava só na mata. Se relacionar desde a vida passada foi algo que eu evitava rsrs
    Como no texto aborda o fato de estudar para os rituais, me sinto carente de estudos. É tanta curiosidade em relação a magia e rituais...
    Mas acho que cada um de nós é da forma que é para um propósito, e isso que é interessante nos relacionamentos, lidar com pessoas diferentes de nós. Um Beijo M.S

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson,
      Acho que cada um de nós tem uma forma de se relacionar com a vida. Não se trata exatamente de se importar ou não com a opinião. É que quando convivemos com as pessoas fica ruim demais estar em desarmonia. E quem é o líder tem um peso a mais, inclusive no compartilhar de conhecimentos como é o caso de um grupo de magia.
      Tem vários livros sobre bruxaria, livros interessantes. Veja no site da Editora Madras.
      Beijo querido, e estude.
      Você vai gostar.

      MS

      Excluir
  2. Falou tudo Maria Silvia!!! Devemos sempre nos lembrar que é um amor MAIOR, que nos une; e este AMOR deve ser sempre o nosso NORTE.

    "Assim se formam os grupos, e aparece o desafio da convivência, de saber lidar com o outro, de cuidar das pessoas, saber se colocar, saber o seu lugar, e o lugar do outro.
    E vamos combinar... Isso não é fácil."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme,
      Com certeza o amordaça ver ser o foco.
      Uma força cheia de sabedoria.

      Beijos querido,

      MS

      Excluir
  3. Sim, como são difíceis os desafios que enfrentamos na convivência com o grupo....assim como a Simone eu tb me importo com a opinião dos outros e isso é causa de muito sofrimento.
    Me identifiquei muito com essa frase MS: " Um treino diário de levar tudo com mais leveza". Estou me esforçando para levar a vida mais leve, o que para mim está sendo um difícil exercício...
    Um bj M.S.
    Vanessa Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa,
      Acho impossível e inadequado um líder não se preocupar com a opinião alheia. Aliás todos nós sempre lidamos com o que as pessoas pensam, pois é o mundo que nos oferece o retorno de nossas ações, então não há nada de errado nisso. Precisamos apenas saber dosar esse valor.

      Um beijo da mS

      Excluir
  4. Linda Simone! Nossa, que olhos! Receba o meu respeito pelo teu honesto depoimento.
    Me identifiquei com seu relato. Sou uma pessoa magoável com críticas e preocupada com os julgamentos dos outros. Aos poucos, estou percebendo que mesmo que eu me empenhe, não devo esperar elogios e reconhecimento. Isto só vai me desanimar. Estou fazendo o que eu acho certo, me doando, dando o meu melhor e não estou esperando que todos concordem ou tenham este olhar carinhoso. Aliás, muitas vezes, meu jeito alegre de ser, causa desconforto em algumas pessoas. Não queria despertar isto em certas pessoas, mas a reação das pessoas, eu não posso mudar. Posso escolher não ser afetada e vibrar amor. Ainda preciso assimilar com os meus botões, as críticas. Outro grande aprendizado, é aceitar uma pessoa que pensa bem diferente. Geralmente, quero estar junto, com pessoas que pensam parecido. Um debate de idéias, requer maturidade e humildade. As pessoas querem falar. Ouvir são poucas. Ouvir com compaixão, nem se fala. Fui vendo que quanto mais eu julgo os outros, mais fico preocupada com o julgamento das pessoas.
    É um grande desafio formar e manter um grupo de pessoas, mas também é um excelente aprendizado. Como disse a Amada MS, um treino diário de levar tudo com mais leveza e fazer concessões com amor. Já participei de grupos espiritualistas. Sempre como participante. Não gosto de ser líder. Um acabou por idéias divergentes, outro por momentos de vida, outro sai por que não me identifiquei mais. Hoje, cuido da minha filha de 7 anos e frequento uma reunião de 3 pessoas na quarta de manhã, que lê decretos da chama azul e violeta. Prefiro mais grupos de estudos, comentar, do que fazer decretos. Mas foi o que me apareceu e o horário me permitiu. Não conheço sobre os Wiccas, Simone, mas sou uma pessoa aberta ao novo. Basicamente, as palestras do you tube e este blog, são os meus companheiros de evolução. Aliás, de tanto acessar este blog, sonhei ontem, que eu estava em uma cama, sendo atendida pela MS e ela colocou a mão no meu chakra cardíaco e disse que eu era uma boa pessoa. No sonho, eu estava com vergonha de dizer que eu era a Tati Fpolis. Devia ser o medo de ser julgada e se expor - kkk. No fundo, todos nós queremos ser amados e ser aceitos.
    Beijos Amada Simone e Mestra MS.
    Vamos no amor e na aceitação, Luz, Tati Fpolis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tati, adorei seu comentário. Você foi honesta, desabafou...
      Admiro gente assim.
      Conviver com grupos tem sido meu maior desafio na evolução. Um verdadeiro teste.
      Coragem, vamos enfrentar com amor e luz.

      Beijos querida, e tudo de bom.

      MS

      Excluir
    2. Conviver com pessoas é um verdadeiro teste mesmo. Linda MS, sua sabedoria me inspira a ser uma pessoa melhor.
      "Se julgo ou critico, perco tempo, porque não posso mudar os outros." Brahma Kumaris.

      Excluir
    3. Tati,
      Assim como a Simoni, penso que você é muito corajosa. Sempre coloca seus pensamentos, e não se intimida.
      Parabéns.
      O mundo precisa de gente que quer se melhorar, crescer, e tem coragem de se expor.

      Beijo da MS

      Excluir
  5. os afazeres do dia a dia muitas vezes nos tiram a atenção...e deixamos muita coisa de lado...sem conseguir completar algo...mas é aí q temos q analisar o que é necessário para nós de verdade....as vezes alguns afazeres podem ser deixados de lado...afinal a espiritualidade é o que nos nutre e sustenta. temos que nos esforçar e tirar um tempo para estudos etc...bjsss MS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrea,
      Com certeza se desejamos de verdade alguma coisa, conseguimos tempo para nos dedicar.
      Precisamos olhar para nós mesmos com muita honestidade.

      Beijo da MS

      Excluir
  6. Obrigada por publicar este depoimento. Passo por algo parecido!
    Silva és uma sacerdotisa presente, lindo e de muita sabedoria tudo que
    publica.

    Namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina,
      Sempre tento mostrar as coisas de forma simples, e ao mesmo tempo com simplicidade. Quero ajudar com meus exemplos.
      Beijos e tudo de bom,

      MS

      Excluir
  7. Realmente uma vida de sacerdócio não deve ser só flores! São muitas horas de dedicação, trabalho ao próximo e conexão com Deus! Que o Pai de muita força, harmonia e paz a todos que tem essa importante missão, pare que desenvolvam um trabalho iluminado na terra!
    Bjs Roberta Rodrigues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberta,
      Muito bom ter você por aqui.
      Com certeza precisamos de muita ajuda para levar adiante nossa missão.
      Beijos querida,

      MS

      Excluir
  8. Um trabalho deste porte exige muito de quem se dá. Para quem está de fora existe um certo glamour mas a "vida real" é bem diferente. O mundo espiritual deve ser encarado com dedicação, com trabalho, sabendo aceitar criticas e elogios. O prazer e a alegria em ajudar são as "recompensas" deste trabalho. Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcella,
      É isso mesmo a recompensa vem da nossa alegria em ver que fez o bem.

      Beijos,
      MS

      Excluir
  9. Gostaria de agradecer a todos, por cada palavra de carinho escritas, em especial a Maria Silvia. Espero poder ter ajudado, mesmo que de forma indireta, a superar nossos desafios diários. Acredito que analisando o depoimento alheio sempre teremos algo a acrescentar para nossas vidas. Cada depoimento escrito aqui só me fizeram crescer mais e acreditar que podemos sim ter uma vida mais leve, tranquila e livre. Livre de julgamentos principalmente. Um grande beijo e muita luza a todos!!!!

    Simone Verzola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone,
      Você foi muito corajosa em se expor. Por que sempre as pessoas tem algo a nos dizer, olhar, julgar.
      Vencer tudo isso não é fácil, mas se alguns tiverem essa força, como você teve, com certeza teremos muitas coisas ricas para aprender.
      O meio virtual oferece uma certa cobertura, mas ainda assim significa se expor.
      Assim querida, agradeço a oportunidade de comentar sua história e sua coragem.
      Beijos da MS

      Excluir
  10. Eu fiz parte deste clã,e fui e sou muito feliz perto tanto da Simone quanto das outras meninas.Aprendemos a nos respeitar mais umas as outras e temos uma amizade sincera e pra vida toda.Acredito que juntas vamos sempre aprender e crescer cada dia mais.Grande beijo Simone e obrigada Maria Silvia você sempre me acalma.Luz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, minha amiga querida, sabes que és muito especial pra mim. Ja aprendi muito contigo e continuo aprendendo. Espero que a nossa amizade continue sempre assim, com respeito, consideração e sinceridade. Beijoss também e te adoro muito!!!!

      Simone Verzola

      Excluir
  11. Olá Simone, aqui em Florianópolis tem mtos grupos espirituais, mtas pessoas abertas a libertação e aprendizado, eu faço meus rituais e decretos sozinho, sozinho não, com os seres de luz, mas acredito que em grupo existindo uma sintonia entre as pessoas presente possa ter uma força mto grande tb. E qdo a se importar com o q os outros dizem, e tb me importo, já me importei mais, é algo busco me libertar, é importante não cair na ilusões dos outros, a maioria das pessoas são tão ignorantes, como nós, só se deve levar em consideração verdade do coração.

    Abraço......

    Marcelo.

    ResponderExcluir
  12. Marcelo, obrigada pelas palavras. Também estou tentando cada vez mais me libertar da opinião dos outros, e como você falou levando em conta a verdade no coração.

    Muita luz pra nós, sempre!!!

    Simone Verzola

    ResponderExcluir
  13. Sou uma das 7 meninas do clã em questão. Essa foi uma das experiências mais enriquecedoras da minha vida, pelo conhecimento e descobertas adquiridos e por, apesar do clã ser extinto, nossa amizade continuar firme e forte, sabendo respeitar as diferenças de cada uma. Amarela/ Simone, se soubesses o quanto tuas ações fazem o bem para nós e o quanto és admirada pela tua dedicação, talvez não te importaria tanto com as opiniões alheias. Mesmo nem tudo saindo como tu planejas, ainda assim tu nos atinge de forma pura e cheia de luz... faz um bem danado! E se alguém não se preparou como gostarias, talvez não seja a hora dessa pessoa. Talvez ela não esteja preparada para tal ritual, pra absorver tal conhecimento naquele momento. Maga, ninguém disse que seria fácil, mas se isso te faz bem (e podes ter certeza que faz bem para os outros), não desista! “E lembre-se: grandes poderes trazem grandes responsabilidades!” bj
    D’águas!

    ResponderExcluir
  14. Miloka.. querida!!! nossa Bruxa das Águas obrigada ta?!! me conforta muito a tua consideração... te adoro, desde que nos conhecemos senti uma afinidade contigo... deve ser ja de vidas passadas quem sabe.... beijosssss

    Simone Verzola

    ResponderExcluir